A homenagem de Tory Burch a Lee Radziwill

Lee Radziwill é uma infinita fonte de bênçãos. A elegante irmã mais nova da falecida primeira dama Jacqueline Kennedy é um ícone de longa data da alta costura, mas nunca foi tão genialmente reconhecida como na última coleção de Tory Burch, apresentada na sexta-feira de manhã em Manhattan.


Tory Burch, outono-inverno 2018 - Pixelformula
 
As modelos desfilaram em vestidos de chiffon semitransparente, com detalhes de renda e laços flutuantes, caftans com estampados de paisley ou, o melhor de tudo, uma série de belos vestidos estilo georgette em seda, estampados com flores a florescer, folhas, raízes, galhos e ramos, lembrando Happy Times, o livro de Lee. Mas, Burch equilibrou tudo graças à sua escolha de trench coats em camurça ou sarja dupla, casacos em lã de ovelha bem proporcionados e grandes parkas. Tudo rematado com a quantidade certa de hippie chic e um toque de estilo desportivo.

A cor central foi o rosa, escolhido em homenagem ao famoso sofá rosa de Lee. O desfile foi apresentado num campo com milhares de cravos rosa verdadeiros, plantados sobre musgo, sobre o qual as modelos desfilaram. A atmosfera elegíaca foi amplificada por uma atuação ao vivo da Chamber Orchestra of New York, que tocou as Quatro Estações de Vivaldi dirigida com tremenda precisão pelo maestro Salvatore Di Vittorio, oriundo de Palermo, Itália, vestido com toda a elegância.
 
“Gosto da modéstia dos cravos. E eu queria otimismo. Não me interessa para onde vamos, eu só quero otimismo, mas não ao estilo cheerleader!”, disse Burch à FashionNetwork.com com o seu sorriso característico.

“Gosto de Lee pela sua personalidade, a sua inteligência e resiliência. E, obviamente, adoro o seu estilo, mas não queria fazer uma referência literal”, acrescentou Burch, que recebeu uma explosão de aplausos no final, vindos de uma audiência radiante que incluía Julianne Moore, Sienna Miller, Zoey Deutch, Liya Kebede e Jessica Hart.
 
Radziwill, que casou três vezes, mas usa o sobrenome do seu segundo marido, trabalha pontualmente como decoradora de interiores, sendo reconhecida pelo seu impecável bom gosto.  
 
O desfile de Burch aconteceu num antigo e gigantesco restaurante, construído com imitações de arcadas em azulejos, sob a Queensboro Bridge. Este espaço, renovado ao estilo anos 1980, provou ser perfeito para as cores alegres desta coleção. Infelizmente, problemas de saúde recentes impediram Radziwill (cujo sobrenome de nascença é Bouvier) de estar presente, mas o seu espírito estava refletido em todos os looks. Uma autêntica musa intemporal.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

DenimDesfiles