Alpargatas continua a cortar funcionários na Argentina

A divisão argentina da Alpargatas continua a enfrentar um período de altos e baixos na Argentina, que levou à suspensão das atividades em algumas das suas fábricas, encerramentos e cortes de pessoal. Segundo o jornal local Bae, em maio a empresa deve acrescentar 1820 suspensões nas suas fábricas de Corrientes e Tucumán.


A Alpargatas continua com o corte de funcionários na Argentina e soma 1820 suspensões. - Comunidad textil

Segundo a imprensa local, na fábrica têxtil da empresa na cidade de Bella Vista, localizada na região oeste da província de Corrientes, foram suspensos 470 trabalhadores. Os funcionários que ficaram inativos durante esta semana receberão apenas 70% do seu salário. Além disso, a fábrica da La Pampa lançou um plano de despedimento voluntário.

Representantes da empresa informaram ao jornal Bae que estas medidas foram tomadas devido à queda nas vendas e à abertura da importação.  "O setor têxtil e do calçado estão muito complicados. Para manter as fontes de trabalho, os funcionários são suspensos ou convidados a adiantarem as suas férias”, disseram os porta-vozes da Alpargatas.

A Alpargatas Argentina tem a sua sede central localizada na capital do país, e conta com sete fábricas distribuídas entre as províncias de Buenos Aires, Catamarca, Tucumán, Chaco, La Pampa e Corrientes. A sua operação internacional sob a Alpargatas S.A  tem escritórios em São Paulo, Nova Iorque, Madrid, Paris, Londres e Bolonha, além de Buenos Aires.

No seu último relatório de resultados, o grupo brasileiro informou que o lucro líquido obtido de janeiro a setembro 2017 foi de 667,2 milhões de euros, valor equivalente a uma queda de 12,4% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - CalçadosTêxtilIndústria