Andres Sosa compartilha planos para a Theoutnet.com

Andres Sosa, o executivo e a força motriz por trás da Theoutnet.com, tem planos para a retalhista online off-season.


Andres Sosa, da OutNet.com, fala dos planos futuros para a retalhista online off-season

A partir do próximo ano, a Outnet será traduzida para alemão e francês, com o russo, chinês e japonês na pipeline.
 
"Queremos falar com os clientes de uma forma muito luxuosa e possibilitar que estes comprem no seu próprio idioma, com uma experiência local", explica Sosa.
 
No outono, a OutNet também esteve ocupada a atualizar a plataforma para os seus clientes em França, Reino Unido, Alemanha, Médio Oriente, Singapura e Hong Kong, disponibilizando um carrinho de compras mais prático, acrescentando uma série de novas marcas, como Yves Salomon, e desenvolvendo novas coleções-cápsula.

“A partir do feedback de um estudo feito com 10,000 mulheres, vimos que as moedas locais eram realmente importantes para elas, pelo que agora podem comprar na sua moeda local no Japão, China, Austrália e Hong Kong", explica Sosa.

Embora tenha sido lançada com algumas dificuldades em 2009, a Outnet passou a registar mais de quatro milhões de pedidos; 2,5 milhões de visitantes únicos por mês e uma média de 30 pedidos por minuto nos períodos de pico.

“A Outnet nasceu como um destino para compras off-season. É informal e oferece marcas incríveis com um desconto de 75%. É fundamental que o cliente tenha uma ótima experiência enquanto faz compras da coleção passada. O que significa que um vestido Dolce & Gabbana de 25.000 dólares precisa de ser tratado como tal. Nós não somos um site de flash sale!”, esclarece.
 
A Outnet tem uma base de clientes muito atrativa: têm em média 39 anos e renda familiar anual de 110,000 libras, indica Sosa, ressaltando que as suas clientes viajam de sete a nove vezes por ano em férias de curto e longo prazo.

"A cliente é uma viajante, que faz compras com uma ocasião específica em mente, seja para as suas férias de verão ou para usar no trabalho no outono. Quando lançámos pela primeira vez, pensámos que a nossa cliente seria jovem e desconheceria as marcas. Desde então, percebemos que é mais velha e compra peças de marca a preço total, mas também é muito experiente e decide onde e quando gastar o seu dinheiro", orgulha-se Sosa. A Outnet não vende roupa ou acessórios masculinos.

Também em 2016, a empresa mudou-se para um armazém muito maior em Clifton, Nova Jersey. A logística europeia está situada em Bolonha, mas a marca tem sede em Londres, onde Sosa vive e gere uma equipa de 74 pessoas de marketing, merchandising e compras.

No ano passado, além de Yves Salomon (embora não trabalhe com as peles, já que a corporação tem uma política fur-free), a loja online também agregou as marcas Camilla e Eyts. E, assim como sua "irmã" mais velha, Net-a-Porter, a Outnet também acrescentou joias finas, vendendo Carbon & Hyde, uma linha de duas irmãs, Yarden e Orden Katz, cujos avós eram comerciantes de diamantes.

Os melhores designers em termos de rotatividade são nomes como Tory Burch, Chloé, Oscar de la Renta e Isabel Marant, mas a oferta ocasional do stock excedente de marcas como Saint Laurent e Tom Ford tem um desempenho muito bom.
 
O venezuelano Sosa, de 44 anos, juntou-se à Outnet há quatro anos e hoje reporta a Alessandra Rossi, presidente da Off-Season, que engloba a Yoox. A fusão da Yoox e da Net-a-Porter em março de 2015 criou um grupo com cinco pilares - Yoox e OutNet; duas divisões In-Season, Net-a-Porter e Mr. Porter, e uma série de flagships online para cerca de 40 marcas de moda.
 
Em 2016, a empresa obteve um salto de 37% na receita para 697 milhões de euros. A Outnet não divulga os seus números de vendas, mas, tendo em vista que conta com 2,5 milhões de visitantes únicos mensais, menos de 9% do total de visitantes da YNET, o volume de negócios é estimado em cerca de 160 milhões de euros.

Antes de ingressar na Outnet, Sosa trabalhou na Value Retail como responsável pelo marketing global, recebendo consumidores internacionais nos outlets da empresa. Uma ideia semelhante à Outnet, mas em espaços físicos.
 
Olhando para trás, Sosa enfatiza que, quando a Outnet foi fundada, o shoppable content era o foco. "Nós redefinimos o modelo de outlet de luxo. Queríamos esse conteúdo como parte do ADN do grupo", ele explica.
  
Um dos exemplos disso é a série de videos intitulada "Dropped Pins", na secção editorial "What to Wear", onde raparigas cool como Kym Ellery e Missy Rayder falam sobre a sua vida e bairros. Ao contrário dos dois "primos" da Porter, a Outnet vende apenas peças da temporada anterior, portanto o stock tende a ter um ano. No entanto, Sosa adverte que apenas 7% do stock é proveniente da Net-a-Porter e nenhum da Yoox. O resto é obtido diretamente das marcas.
 
"Sim, em alguns casos compramos produtos que as marcas não conseguiram vender. Mas, os nossos compradores fazem pedidos para as grandes marcas que ajudam com volumes menores de produção, pagando uma taxa diferente", sorri.
 
Sosa também trabalhou arduamente para ampliar as colaborações exclusivas com designers como Matthew Williamson, Jerome Dreyfus, Alice Temperley, e a marca de moda praia, Melissa Odabash.

Seus próximos objetivos a longo prazo? “Dominar o mundo - Nah, esse é o [objetivo] pessoal. Nos próximos cinco anos, o foco é servir os clientes. E o ponto-chave é o universo móvel. Mais de 50% das nossas vendas provêm de algum tipo de dispositivo móvel ou aplicativo", diz Sosa, em uma call da sede, acima do shopping Westfield, em Shepherd's Bush, Londres.
 
"Nós poderíamos ter mudado para o Vale do Silício, em Shoreditch, mas eu não quero viver em uma bolha. Ver nossos clientes comprarem no shopping aqui embaixo permite que eu faça minha pesquisa caminhando para o escritório".

 

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2017 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

ModaLuxoPersonalidadesNegócios