Antiga fábrica da Triumph "renasce" para "conquistar novos mercados"

Quatro meses depois de ter adquirido a fábrica portuguesa de roupa interior da Triumph, a administração da empresa alemã Têxtil Gramax Internacional pretende conquistar novos mercados e tornar-se uma das maiores produtoras de lingerie e fatos-de-banho.

A empresa alemã Triumph possuía uma fábrica em Sacavém, concelho de Loures, que foi adquirida em setembro pela empresa Têxtil Gramax Internacional (TGI).



O processo de venda, que decorreu durante um ano, chegou a ser muito contestado pelos cerca de 500 trabalhadores, que temiam que a fábrica encerrasse definitivamente.

Contudo, quatro meses depois do processo de venda estar concluído, a nova administração da fábrica de Sacavém assegurou, em entrevista à agência Lusa, que o "medo inicial dos trabalhadores pelo desconhecimento do futuro" deu lugar a um sentimento de "alegria e motivação".

"Sinto que o ambiente está ótimo. Estamos a formar pessoas, contratámos já duas dezenas de novos trabalhadores e queremos conquistar novos mercados. Estou muito satisfeito", afirmou à Lusa o diretor-executivo da TGI, Manuel Pereira.

O responsável sublinhou que, atualmente, a TGI é o maior empregador do concelho de Loures, com cerca de 500 trabalhadores, contando com um volume de negócios anual de 20 milhões de euros.

Manuel Pereira referiu que a empresa tem estado a implementar um novo modelo de negócio para "diversificar o portefólio de produção e poder alargar-se a novos mercados de exportação".

"Organizámos os serviços e dotámo-los de competências para as quais não estavam vocacionados. Era uma fábrica que exportava unicamente para um único mercado [Áustria] e que pertencia a um só cliente. Hoje temos uma situação totalmente distinta".

Nesse sentido, o responsável explicou que, atualmente, a fábrica de Loures contempla todo o processo de produção das roupas, nomeadamente o design das peças e das coleções e trabalha com outros clientes nacionais e internacionais.

"Antes éramos só mão-de-obra e hoje temos a cadeia completa. A empresa saiu da cápsula e tornou-se uma empresa mais independente", afirmou.

Relativamente a 2017, o diretor executivo da TGI referiu que a produção da fábrica de Loures terá como destino, entre outros, os mercados da Alemanha, Áustria, Espanha, Estados Unidos da América, Holanda, França e Portugal.

"Estamos apostados em reforçar a liderança do setor de produção em Portugal e afirmarmo-nos como um dos maiores ‘players’ europeus na produção de lingerie, ‘shapewear’ e ‘swimwear’", atestou.

Os resultados da TGI foram apresentados hoje à tarde ao ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e ao presidente da Câmara Municipal de Loures, Bernardino Soares, durante uma visita àquela unidade fabril.

Copyright © 2018 Agência LUSA. Todos os direitos reservados.

LingerieBalneárioIndústria
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER