CEO da Under Armour se desliga do Conselho Americano de Manufatura do Presidente Trump

Os principais executivos da Intel Corp., Merck & Co Inc. e Under Armour Inc., renunciaram ao "U.S. President Donald Trump's American Manufacturing Council" (Conselho Americano de Manufatura do presidente dos EUA, Donald Trump), na segunda-feira (15), após a resposta inicialmente tênue de Trump à violência ocorrida durante a marcha de supremacistas brancos em Charlottesville, Virgínia, no fim de semana.


Under Armour

O CEO da Under Armour, Kevin Plank, anunciou o seu desligamento do conselho em uma postagem no Twitter. "Nós permanecemos resolutos em nosso potencial e capacidade de melhorar a fabricação americana", disse Plank. "No entanto, a Under Armour é engajada em inovação e esporte, e não política”.

No inverno passado, Plank foi criticado por algumas das maiores estrelas da Under Armour, como o astro do basquete, Stephen Curry, por conta de seu apoio à Trump.

"Eu me desliguei do conselho para chamar atenção ao grave prejuízo que nosso ambiente político dividido está causando…”, declarou o CEO da Intel, Brian Krzanich, em uma postagem no blog. Intel.ly/2fFOjAd

Kenneth Fraizer, diretor executivo da empresa farmacêutica Merck e afro-americano, declarou que deixou o conselho devido à reação insatisfatória do presidente após a violência causada pelos supremacistas brancos contra manifestantes. Frazier citou a necessidade de "tomar uma posição contra a intolerância e o extremismo".

A AFL-CIO, uma federação de sindicatos que representam 12,5 milhões de trabalhadores americanos, disse estar considerando retirar seu representante do comitê.

Após os atos de violência durante a marcha nacionalista branca no sábado (12), Trump declarou inicialmente que a culpa era de muitos lados. Na segunda-feira (14), após pressão e críticas por sua falta de posicionamento ao falar dos supremacistas brancos, Trump declarou em um comunicado que os neonazistas e os membros da Ku Klux Klan eram criminosos e bandidos.

A marcha ocorrida em Charlottesville com a participação de centenas de nacionalistas brancos teve final trágico no sábado, quando um carro atropelou um grupo de manifestantes contrários à marcha, matando uma pessoa.

"Os líderes dos Estados Unidos devem honrar os nossos fundamentos, rejeitando claramente as expressões de ódio, fanatismo e supremacia grupal, que contrariam o ideal americano, de que todas as pessoas são iguais", declarou Frazier em um comunicado,  ao anunciar o seu desligamento.

"Como CEO da Merck e por uma questão de consciência pessoal, me sinto na responsabilidade de assumir uma posição contrária à intolerância e o extremismo", afirmou.

Trump respondeu pouco depois em um tweet, dizendo: "Ken Frazier da Merck Pharma renunciou ao Conselho de Manejo do Presidente, ele terá mais tempo para BAIXAR PREÇOS DE DROGAS RIPOFF!"

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2018 Todos os direitos reservados.

DesportoMédias