China vai combater a venda de produtos contrafeitos no comércio em linha

Xangai (Reuters/EP) – A China planeja combater a venda produtos contrafeitos na Internet com o recurso de computação em nuvem, big data e regras mais rígidas sobre a identificação de utilizadores, em sua mais recente medida para impedir a contrafação.

China procura diminuir as contrafações no seu mercado em linha - Good Barber

A China tem tentado controlar sua indústria de contrafação, que tem copiado de iPhones da Apple a bolsas da Louis Vitton, desde que ingressou na Organização Mundial do Comércio em 2001, sendo obrigada a aderir a padrões internacionais relacionados a direitos de propriedade intelectual.
 
O país planeja erradicar as violações aos direitos de propriedade na Internet dentro de três anos, disse o gabinete executivo da China numa publicação em seu sítio oficial, no sábado, 08.
 
A China vai promover o uso de um "sistema em tempo real" na Internet e de etiquetas eletrónicas para tornar mais fácil o rastreamento de produtos e a identificação de contraventores, disse o comunicado.
 
A fiscalização entre as regiões do país vai ainda ser melhorada, afirmou a China, com foco no compartilhamento de informações entre Pequim, Tianjim e a zona do Delta do Rio Yangtze, além de outras regiões.
 
Mais de 40% dos produtos vendidos em linha na China no ano passado eram contrafeitos ou de má qualidade, noticiou a agência estatal Xinhua na passada semana.

Copyright © 2018 Europa Press. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos aqui apresentados sem o prévio e expresso consentimento.

Moda - AcessóriosDistribuição