Cos: Uma dança ao som do têxtil em Florença

A apresentação refinada e modernista da Cos deixou ver, mas também ouvir, muita coisa na manhã de quarta-feira, em Florença, com uma coleção usada pelos dançarinos da companhia de dança de Wayne McGregor.


Photo: Cos

A Cos, a marca minimalista do grupo H&M direcionada para profissionais criativos, fez a sua estreia no Pitti 94, a mais recente edição desta semana da moda masculina florentina, cuja organização, particularmente fluida, é única no mundo.

“Queríamos trabalhar a ideia de movimento e a decisão mais natural foi chama um coreógrafo, por isso ocorreu-nos trabalhar com Wayne”, explicou Christophe Copin, designer das coleções masculinas da Cos , mencionando o bailado Tree of Codes, “o incrível” encontro entre a companhia de Wayne McGregor e a da Opéra de Paris, no Palais Garnier, em 2016 .

Para o Pitti, a marca organizou a sua apresentação nos claustros renascentistas do Istituto degli Innocenti. No entanto, os dançarinos pareciam tudo menos inocentes enquanto saltavam e se contorciam embalados por uma banda sonora eletrónica espiritual e explosiva, composta sob medida por Joel Cadbury, compositor conhecido pelo seu trabalho no filme Sexy Beast. A companhia vestia a elegante e depurada coleção Cos x Pitti Uomo.

Os cortes: alongados e volumosos, sem nunca serem excêntricos. Os acabamentos: alguns botões deslocados e comprimentos exagerados. Os materiais: tecidos cinza, azul marinho, branco. Toda a coleção foi um verdadeiro manifesto sobre o ADN da marca - modernidade, conforto, intemporalidade e funcionalidade.


Photo: Cos

 “Algumas peças em malha têm rugas, como se guardassem a memória do movimento. Queríamos que algumas camisas e casacos fossem crocantes e fizessem um som quando fossem vestidos. É este o ponto de partida da música: fiz com que Joel usasse as roupas e ouvisse os seus sons”, explica Christophe Copin, criador francês que trabalha nos estúdios da Cos em Londres. Num dia em que estourou uma guerra de palavras entre França e Itália, a propósito das políticas de imigração dos dois países, foi bom ver a receção calorosa com que a Toscana recebeu o francês.

Claramente, a atmosfera cuidadosamente otimista da roupa desenhada por Copin para a Cos encontra uma boa ressonância no cenário internacional. A Cos planeia abrir mais dez lojas antes do final do ano, a somar à sua atual rede de 248 lojas em todo o mundo. Entre estes novos pontos de venda estão lojas em Basileia (Suíça) e Changsha (China), ambas inauguradas nesta sexta-feira. Estão ainda planeadas para 2018 inaugurações em Lyon (França), Kuala Lumpur (Malásia), Austin e Los Angeles (Estados Unidos), Augsburg (Alemanha), Lyngby (Dinamarca), Brisbane (Austrália) e Bangkok (Tailândia).

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

TêxtilSalões de ModaColeção