Dior combina pintura rupestre com estilo cowboy em desfile Cruise na Califórnia

Com o pôr do sol sobre as montanhas de Santa Monica, Dior apresentou sua primeira coleção cruise de Maria Grazia Chiuri, marcada com o estilo do deserto do sul da Califórnia. Esta é a primeira coleção cruise de Chiuri para a casa de moda francesa desde a substituição de Raf Simons como diretor criativo, e as peças ecoaram as marcas registradas de Chiuri com saias bordadas transparentes, alças com o logotipo Christian Dior e os vestidos de tule vermelho que ela também desenvolveu na Valentino.

A coleção Cruise 2018, no entanto, impregnou estas mesmas temáticas com um estilo sudoeste jamais visto antes na casa de moda francesa, presente nos cobertores com estampas de cavalo que cobriam as modelos, gravatas de cowboy e cores inspiradas no pôr-do-sol. As modelos também usavam gravatas de cowboy ao redor do pescoço no lugar de jóias e chapéus de vaqueiro lisos de abas largas. Praticamente cowgirl couture.

Convidados foram aconselhados a não usar saltos e trazer casacos para combater o frio que se instala nas montanhas de Los Angeles após o anoitecer. O assento de cada convidado foi adornado com um cobertor de marca "Dior Sauvage" para ajudar aqueles que não tinham vestido-se adequadamente para as noites frias da Califórnia. As modelos seguiram a mesma tendência; Todas usavam botas robustas, sandálias de tiras ou rasteiras, que chutavam a sujeira e a poeira enquanto caminhavam pela passarela, passando pelas barracas brancas do local. Muitas foram vestiam casacos acolchoados e ponchos acinturados com cores do pôr do sol do sudoeste.
 
Dois enormes balões – lia-se Dior Sauvage - decoravam a paisagem, antes que a audiência se acomodasse em assentos brancos de juta e espriguiçadeiras.

Para a estética da coleção e estampas, Chiuri inspirou-em pinturas rupestres pré-históricas da famosa caverna de Lascaux Grotte, que tornou-se pública em 1940 e serviu de inspiração para o próprio Christian Dior em 1951. Chiuri também citou Georgia O'Keeffe, um ícone de arte do sudoeste americano, como inspiração. "Eu quero ter um diálogo com a nova geração de mulheres Dior, que elas possam escolher a peça, e possam misturar de diferentes formas", disse Chiuri. "O que significa ser feminina, ser uma marca que fala sobre as mulheres? Eu acho que tem que falar sobre igualdade de oportunidades", disse ela.
 
Muitos convidados usavam as agora famosas "We should all be feminists" camisetas da Dior, e o autor da frase também estava presente. A celebrada autora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, que emprestou o título de seu livro "We should all be feminists" para Dior, foi para a apresentação em Los Angeles. Ela elogiou a coleção de Chiuri por abordar as necessidades das mulheres reais. "Parecia-me muito fundamentada na noção do que as mulheres vão realmente usar", disse Adichie.


 Embora muitas marcas de moda tenham decidido mostrar suas coleções Cruise em locais de férias, como a Gucci vai no final deste mês, mostrar sua coleção no Pitti Palace, a Dior inovou ao levar uma casa de moda de luxo francesa para o deserto.
 
Para coroar a noite nas montanhas do sul da Califórnia, Dior convidou nada menos do que Solange Knowles para entreter a multidão. No final da noite, Knowles cantava faixas de seu mais recente álbum Um lugar na mesa, e elogiou a iniciativa recente da indústria da moda de ser mais inclusiva com pessoas de diferentes origens.
 
Graças ao seu belo cenário e proximidade com Hollywood, este desfile Dior Cruise 2018 teve um grande impacto para a casa de moda francesa.

 

Copyright © 2017 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - Pronto-a-vestirLuxo - DiversosDesfiles