Farfetch revela incubadora de start-ups Dream Assembly

Na sua história relativamente curta, a Farfetch tem tido um papel disruptor no retalho. Agora, a empresa prepara-se para encontrar a próxima vaga de empresas de tecnologia com o lançamento de uma incubadora de start-ups, que também está a ser apoiada pela Burberry.


Farfetch

Com a aceleradora tecnológica Dream Assembly, a Farfetch visa desenvolver start-ups promissoras selecionadas pelos seus próprios especialistas, bem como pela Burberry (com a qual assinou um importante contrato de retalho há vários meses) e pela empresa de venture capital 500 Startups.

O programa Dream Assembly funcionará nos escritórios da Farfetch em Lisboa e incluirá uma série de workshops, sessões individuais com líderes seniores dentro da Farfetch e reuniões de orientação cobrindo tópicos como e-commerce, marketing, tecnologia, moda, logística e operações, “dando às start-ups acesso direto à expertise da Farfetch nos setores de moda e tecnologia de luxo, ao longo de 12 semanas”.

A empresa, que estará a planear uma oferta pública inicial (IPO) de 5 mil milhões de dólares, disse querer "dar de volta" à comunidade start-up.

A 500 Startups, que orientou e treinou milhares de empreendedores através do seu programa Seed Accelerator, com sede em Silicon Valley, também irá fornecer experiência em vendas e marketing às empresas Dream Assembly, incluindo uma semana em São Francisco e outra em Lisboa durante o programa de 12 semanas.

Stephanie Phair, diretora de estratégia da Farfetch, disse que o projeto também deverá ajudar a encontrar novas abordagens ao retalho e criar “uma melhor experiência de compra de luxo”.

Daniel Heaf, vice-presidente sénior de Comércio Digital e Marketing Digital da Burberry, acrescentou: “Estamos muito satisfeitos em aprofundar a nossa relação com a Farfetch associando-nos à empresa no acelerador inaugural da Dream Assembly. Acreditamos que a inovação aberta, a colaboração e a partilha dos nossos conhecimentos com empresas nos estágios iniciais irão encorajar mais criatividade em todo o setor do luxo.”

As incubadoras de start-ups são cada vez mais importantes no setor do retalho. A John Lewis desenvolveu uma durante vários anos e a LVMH anunciou a sua própria incubadora, a Maison des Startups, em Paris, há algumas semanas. E, claro, a copresidente da Farfetch, Natalie Massenet, desvendou a sua própria empresa de venture capital focada em start-ups há poucos dias.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - DiversosNegócios