IPO do Carrefour Brasil é o maior em quatro anos

O Grupo Carrefour Brasil SA teve, na terça-feira (19),  a maior oferta pública inicial do Brasil em quatro anos com 15 reais por ação, valor mínimo sugerido.


Photo: Carrefour - TEX

A Reuters informou o preço no início do dia, citando fontes familiarizadas com o assunto. O Carrefour Brasil, uma unidade da Carrefour SA da França, é a maior cadeia de supermercados do Brasil.  Os acionistas obtiveram a receita de 5,12 bilhões de reais (1,6 bilhão de dólares) com a transação.

O Carrefour Brasil vendeu 91,2 milhões de ações na chamada oferta secundária, na qual os atuais acionistas vendem parte de suas participações, e 205,8 milhões de ações em oferta primária, que vai para os cofres da empresa.

A 15 reais por ação, o Carrefour Brasil negociará um desconto contra o rival GPA SA em termos de valor da empresa sobre o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, uma métrica conhecida como EV/EBITDA. Outros múltiplos, como as vendas em relação ao EBITDA, geram um prémio para o Carrefour Brasil.

Os investidores ficaram relutantes em fazer uma oferta na maior parte da faixa sugerida de 15-19 reais para uma empresa que não possui uma vantagem competitiva substancial, disseram os gestores de fundos.

Ainda assim, o IPO deve ajudar o Carrefour Brasil a ganhar robustez para superar o GPA, cuja divisão de alimentos cobriu a diminuição das vendas de aparelhos domésticos. O Carrefour superou recentemente o GPA como o retalhista número 1 do Brasil em vendas.

A transação sela a primeira fase de uma aliança entre Carrefour e o magnata do retalho brasileiro Abilio Diniz, que começou em 2014. Diniz, cuja família fundou o GPA, é o terceiro maior acionista do Carrefour e ocupa um cargo no conselho.

O IPO do Carrefour Brasil é o primeiro de dois nesta semana, tornando-se o mais período mais movimentado em ofertas de ações desde meados de fevereiro.

O segundo, referente aos certificados de depósito (BDRs) na empresa farmacêutica colombiana Grupo Biotoscana SA tem investidores dispostos a colocar três vezes o valor das ações em oferta, numa faixa de preço de 24,50-28,50 reais, informaram duas pessoas com conhecimento do acordo.

O preço da oferta, originalmente agendado para terça-feira, foi adiado para sexta-feira, depois de a Biotoscana ter revisto as suas demonstrações financeiras em resposta a um inquérito regulamentar sobre a contabilização da compra do Laboratório LKM, em 2015.

Os investidores estão receosos com os IPOs brasileiros já que, na última década, alguns casos não conseguiram entregar os retornos prometidos.

Segundo dados da Thomson Reuters, menos de um terço dos 115 IPOs avaliados desde o início de 2007 resultaram em rendimentos acima da taxa de empréstimos interbancários do Brasil.

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2018 Todos os direitos reservados.

Negócios