Indústria global do luxo espera superar os 490 mil milhões de euros em 2020

O mercado global de luxo espera registar mais de 490 mil milhões de euros até 2020, após atingir vendas de 419 mil milhões de euros em 2016, de acordo com o relatório "The luxury and cosmetics financial factbook 2017”, da empresa de consultoria Ernst & Young (EY).


Gucci.com

A empresa espera que o crescimento do setor seja impulsionado pelos mercados emergentes e pelo desenvolvimento do canal "online".

"As tendências no setor do luxo estão a mudar rapidamente, impulsionadas pelo novo consumidor digital, que vê a moda de uma perspetiva diferente e exige um relacionamento mais personalizado com as marcas. Estamos num momento profundamente perturbador no qual, longe de identificar uma ótima tendência que orienta a evolução do setor, estamos a ver comportamentos diferentes de acordo com diferentes categorias e mercados", disse Patricia Fernandez Mesa, diretora responsável por Moda e Luxo na EY.

As receitas do segmento mais alto do luxo, o “high-end”, alcançaram 269 mil milhões de euros globalmente em 2016, e espera-se que a taxa de crescimento anual composta (CAGR) seja de 3,4% até 2020.

Este valor é superior aos 2,8% registados no período 2012-2016, mas contrasta com o aumento anual de 11,7% entre 2009 e 2012.

De acordo com a EY, entre as explicações para esta desaceleração está a mudança no comportamento do consumidor, que agora mostra maior interesse em combinar produtos específicos high-end com itens mais acessíveis.

Além disso, segundo o relatório, a irrupção da era digital também impactou diretamente as vendas globais do setor, devido à maior transparência e à capacidade de comparar preços online, bem como contribuiu para o declínio da frequência e do tráfego nas lojas físicas.

Por outro lado, os segmentos premium e de entrada em luxo alcançaram um volume de negócios de 101 mil milhões de euros em 2016, com uma CAGR de 4,4% entre 2012-2016.

De acordo com o relatório EY, a mudança no mercado a favor desses dois segmentos deve-se, entre outros fatores, ao aumento da classe média em países como a China e a Índia, ao aumento nos preços de produtos de luxo, à tendência de combinar marcas e produtos de diferentes segmentos e ao aumento da moda casual.

Por fim, a indústria de perfumaria e cosméticos aumentou o seu volume de negócios de 47 mil milhões para 49 mil milhões de euros em 2016, com uma taxa de crescimento anual composta estimada em 3,9% até 2020, abaixo dos 5,9% de 2012-2016, e dos 4,9% registados entre 2009 e 2012.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 Europa Press. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos aqui apresentados sem o prévio e expresso consentimento.

TêxtilLuxoIndústria