Kering continua a progredir graças à Gucci

A Kering viu seus resultados dispararem no primeiro semestre do ano, graças ao excelente desempenho da Gucci, cujo crescimento explosivo continua a dominar, de longe, o mercado global de luxo.


Ver o desfile
Gucci Cruise 2019 - primavera-verão 2018 - Coleção Cruise - Paris - © PixelFormula

As vendas do grupo proprietário de marcas como Saint Laurent, Bottega Veneta e Balenciaga aumentaram 26,8%, para 6.43 mil milhões de euros, assinalando um crescimento de 33,9% a taxas de câmbio constantes e de 31,5% apenas no segundo trimestre. Com a Gucci como alavanca, cujo crescimento orgânico ultrapassou os 40% no segundo trimestre, após um aumento de 49% no primeiro, o lucro operacional atual subiu 53%, atingindo os 1.77 mil milhões de euros, um valor ligeiramente superior ao consenso de 1,73 mil milhões de euros estabelecido pela Inquiry Financial para a Reuters.

A margem operacional do grupo aumentou em 470 pontos base e ficou em 27,5%, impulsionada por um ganho de 620 pontos na Gucci, cuja rentabilidade operacional atingiu um recorde de 38,2%. Assim como os seus concorrentes, LVMH e Hermès, a Kering disse que não observou uma desaceleração na demanda dos clientes chineses, apesar dos receios relacionados com a queda da Bolsa de Xangai, dos preços do renminbi e dos imóveis. Graças à Gucci, a Kering registou o melhor desempenho no setor de luxo, superando a divisão de moda e artigos de couro da LVMH e a Hermès, que alcançaram um forte crescimento orgânico de 16% e 11,2%, respetivamente, no primeiro semestre do ano.

(Pascel Denis, editado por Dominique Rodriguez)

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2018 Todos os direitos reservados.

Luxo - Pronto-a-vestirLuxo - AcessóriosLuxo - DiversosNegócios