Kering retira queixa de falsificação contra Alibaba após acordo

O grupo francês de artigos de luxo, Kering, arquivou seu processo contra a Alibaba e Alipay em Nova York e concordou em cooperar com as duas empresas para proteger seus direitos de propriedade intelectual e combater a falsificação.


Saint Laurent - Outono-Inverno 2017 - Moda Feminina - Paris - © PixelFormula

Nos últimos anos, a empresa chinesa de comércio eletrônico, Alibaba, enfrentou denúncias alegando que seus sites de compras não conseguem impedir a venda de produtos que infrinjam direitos autorais.

Alibaba disse que está constantemente trabalhando para melhorar o seu monitoramento e aplicação das regras contra as falsificações.

"As empresas estabeleceram uma força-tarefa conjunta com o objetivo de colaborar integralmente, trocando informações úteis e trabalhando em estreita colaboração com os órgãos responsáveis pela aplicação da lei, para tomar medidas apropriadas contra os infratores das marcas da Kering, identificados com os recursos de tecnologia da Alibaba", informaram as duas empresas em um comunicado na quinta feira.

"Como parte do acordo, a Kering concordou em abandonar o processo aberto contra Alibaba e Alipay, uma subsidiária da Ant Financial, no Tribunal Distrital dos Estados Unidos em Nova York”, informaram.

Em agosto de 2016, um juiz dos Estados Unidos arquivou parte de um processo aberto pela Gucci, Yves Saint Laurent e outras marcas de luxo, que acusavam a Alibaba de promover a venda de produtos falsificados, alegando falta de provas suficientes.
 

Traduzido por Novello Dariella

copyright_reutersapi

Luxo - DiversosNegócios