LVMH revela os oito finalistas do seu prémio jovem designer

Oito finalistas foram selecionados dentre 21 criadores que apresentaram suas últimas ideias a 02 e 03 de março passados na sede da LVMH, na avenue Montaigne em Paris. O júri era composto de 40 especialistas – redatores, críticos, joalheiros, maquiladores, modelos, DJ, comerciantes e influenciadores – que tiraram proveito de uma longa carreira no mundo da moda.

Delphine Arnault e Karl Lagerfeld no coquetel do LVMH Prize LVMH Prize LVMH Prize - LVMH Prize

Os oito finalistas são, portanto, Ambush da Yoon Ahn, Àtlein da Antonin Tron, Cecilie Bahnsendey Cecilie Roasted Bahnsen, Jahnkoy da Maria Kazakova, Kozaburo da Kozaburo Akasaka, Marine Serre da Marine Serre, Molly Goddard da Molly Goddard e Nabil Nayal da Nabil el-Nayal.
 
Os vencedores serão escolhidos a 16 de junho próximo por um segundo júri de uma dezena de pessoas. Entre eles, nove criadores vindos do grupo LVMH: Jonathan Anderson da Loewe, Maria Grazia Chiuri da Christian Dior, Nicolas Ghesquière da Louis Vuitton, Marc Jacobs, Karl Lagerfeld da Fendi, Humberto Leon e Carol Lim da Kenzo, Phoebe Philo da Céline, Riccardo Tisci (ex-Givenchy). E três são dirigentes do mesmo grupo: Jean-Paul Claverie, Pierre Yves Roussel e Delphine Arnault. O vencedor será anunciado durante uma coletiva de imprensa dada a partir da Fundação Louis Vuitton.
 
Trata-se da 4ª edição do prémio LVMH, tal como imaginado por Delphine Arnault, cujo pai, Bernard Arnault, é o principal acionista da LVMH. Os três últimos vencedores do prémio foram Grace Wales Bonner (2016), Marta Marques e Paulo Almeida (2015), e Thomas Tait (2014). Em quatro anos de existência, o prémio atraiu mais de 3.000 candidatos.
 
O prémio também soube seduzir candidatos vindos do mundo inteiro: os finalistas da edição 2017 compreendem assim dois criadores sediados em Paris – Atlein e Serre, dois criadores sediados em Londres – Goddard e el-Nayal, dois sediados em Nova Iorque – Kazakova e Kozaburo, um sediado em Tóquio – Ambush – e um sediado em Copenhagen – Bahnsen.
 
A estética do prémio é também muito diversa. Kazakova mistura assim iconografia russa, street americano e sportswear, ao passo que Nayal mistura sportswear e vestidos elisabetanos. Akasaka traz uma especialidade de inovação têxtil, com técnicas de reciclagem japonesa, nas quais jeans é rasgado em tiras e costurado para fazer novas roupas.
 
De maneira impressionante, Kazakova, que chegou na final, no entanto, não vem da França para os dois dias de apresentação. Esta criadora, sediado em Nova York, mas de origem russa, se apresentou via Skype. "Tinha muito medo de deixar Nova Iorque para ir a Paris achando que eles pudessem não mais me deixar voltar!", declarou a jovem criadora ao FashionNetwork, fazendo assim referência às restrições de viagens anunciadas pelo presidente Donald Trump. No entanto, achamos que ela se deslocará até Paris em junho próximo.

Traduzido por Anderson Alexandre Da Silva

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

ModaCriação