Levi’s alcança excelentes resultados no segundo trimestre

A Levi Strauss Co. anunciou na terça-feira que as suas receitas continuaram a subir durante o segundo trimestre de 2018, aumentando 17%. A emblemática marca americana revelou também que o seu lucro líquido quadruplicou nesse período de três meses, encerrado a 27 de maio, e que aumentou os seus objetivos anuais, apesar de notícias recentes que dão conta que a UE está a considerar um novo quadro fiscal para produtos americanos em denim.


Levi Strauss Co

A empresa com sede em São Francisco registou um crescimento de dois dígitos na sua receita por três trimestres consecutivos, um resultado "impulsionado pela execução disciplinada das estratégias e pela diversificação do portfólio", explicou Chip Bergh, presidente e CEO, num comunicado de imprensa.
 
"Estes resultados superaram a média da indústria e até as nossas próprias expectativas e, como resultado, decidimos aumentar os nossos objetivos anuais", acrescentou Bergh, no final da tarde de terça-feira.

Este aumento de 17% no lucro líquido da Levi Strauss deve-se ao crescimento generalizado da marca Levi's em todos os mercados e em todos os seus canais de distribuição. Nas Americas, o crescimento foi de 11%, mas o lucro líquido caiu 5% no mercado interno da marca devido ao aumento na área de retalho e aos custos de publicidade, disse a empresa.

No mercado internacional, a Levi's disparou: Europa e Ásia registaram ganhos de 19% e 9%, respetivamente, excluindo transações cambiais negativas.
 
Em termos de distribuição, as receitas geradas pelas vendas diretas ao consumidor aumentaram 19%, graças à força das vendas e à expansão da rede de retalho, bem como ao crescimento do comércio eletrónico. Nas vendas por atacado, o aumento é de 14%, com resultados muito positivos em todas as regiões.

No que diz respeito ao lucro líquido, o aumento foi 59 milhões de dólares (cerca de 50 milhões de euros), "refletindo principalmente as poupanças com contratos de cobertura da empresa durante o segundo trimestre de 2018, bem como o impacto do refinanciamento da dívida durante o segundo trimestre de 2017", disse o comunicado.
 
O EBIT ajustado aumentou 15%, refletindo o crescimento da receita e das margens brutas, enquanto o lucro operacional aumentou 22%, para 77 milhões de dólares (cerca de 66 milhões de euros).

No final do segundo trimestre, a Levi’s operava mais 53 lojas próprias do que na mesma data do ano anterior.

O extraordinário desempenho trimestral da Levi’s não deixa, porém, esquecer as notícias recentes de que a UE se prepara para cobrar um novo imposto de 25% sobre alguns produtos importados dos Estados Unidos, incluindo jeans, t-shirts e calções para homem e mulher e uma seleção de artigos e equipamento desportivo, como resposta à nova política aduaneira promulgada recentemente pela administração Trump.
 
Além disso, as medidas da UE poderão prejudicar especialmente os fabricantes de têxteis da Califórnia, um verdadeiro cluster de produção de denim, onde a Levi's está sediada. De acordo com o Departamento do Comércio dos Estados Unidos, no ano passado o país exportou 583 milhões de euros em vestuário para a UE, valor abaixo dos 608 milhões registados em 2014.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirDenimNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER