London Fashion Week masculina aposta mais do que nunca em jovens criadores

A Semana de Moda de Londres começa nesta sexta-feira, 8 de junho, na maratona europeia de desfiles masculinos que, depois de Florença e Milão, terminará em Paris no dia 24 de junho. Afetada, como as outras capitais da moda, pelas mudanças incessantes das estratégias das marcas, entre desfiles mistos e transferências para o calendário feminino, Londres apresenta nesta 12ª edição dedicada às coleções masculinas da primavera-verão de 2019, um programa concentrado em três dias e uma noite no qual a criatividade desenfreada de designers emergentes será, mais uma vez, o centro das atenções.


London Fashion Week masculina aposta mais do que nunca em jovens criadores - britishfashioncouncil.co.uk

No programa até segunda-feira, 11 de junho: quase 50 marcas, que apresentarão as suas novidades através de 27 desfiles e 16 apresentações. Iceberg abre o evento na sexta à noite. A histórica marca italiana do grupo Gilmar, especializada em malhas, que teve seu auge sob a supervisão de Jean-Charles de Castelbajac entre 1976 e 1987, é a convidada especial desta London Fashion Week, onde desfila para a primeira vez.
 
O facto de a marca ser dirigida por James Long favoreceu certamente esta viagem até à capital inglesa, onde o estilista britânico foi um dos primeiros a desfilar na London Fashion Week Men's com a sua própria marca masculina de prêt-à-porter. Iceberg apresentará a sua coleção masculina para este verão, assim como alguns looks da pré-coleção feminina.
 
Entre os nomes mais famosos, está a presença inevitável de Hussein Chalayan, o talentoso estilista turco-cipriota, inglês de coração, ou a casa histórica Kent & Curwen, que oferece um novo frescor através de novos proprietários, incluindo o jogador de futebol David Beckham, à frente da coleção em parceria com o diretor criativo Daniel Kearns. A marca abandona a fórmula de apresentação-almoço, optando por um desfile no domingo, logo depois da Chalayan, que desfilará na sua loja.
 
Os outros grandes nomes estão, no entanto, ausentes: Craig Green, que se desloca excecionalmente para Florença, onde desfilará a 14 de junho como convidado de honra no desfile masculino do Pitti Uomo, Vivienne Westwood e Grace Wales Bonner, que passam a vez, preferindo repensar o formato da sua apresentação.


Chalayan, um dos últimos grandes nomes da London Fashion Week Homme - © PixelFormula

A semana inglesa ainda conta com Oliver Spencer, Cottweiler, Christopher Raeburn, Xander Zhou, o primeiro estilista chinês de moda masculina a desfilar em Londres, a dinamarquesa Astrid Andersen e Matthew Miller, que ganhou o Woolmark Award 2017-18 em janeiro passado na categoria de moda masculina.

A capital da criatividade, como as autoridades da moda britânica gostam de chamar Londres, também se pode gabar das suas muitas estrelas em ascensão.  Assim como dos designers emergentes, que vão estrear-se na passarela de Londres, e os jovens que já deram seus primeiros passos no calendário nas últimas temporadas. A seguir de perto, Daniel W. Fletcher, que abandona as apresentações para um desfile de verdade, ou a britânica de origem jamaicana Martine Rose, que regressa ao calendário depois da sua ausência em janeiro.

Os holofotes também estarão virados para as novas marcas britânicas que chegaram à final do Prémio LVMH deste ano. Como Samuel Ross, dos subúrbios ingleses, cuja marca de streetwear A-Cold-Wall, também semifinalista do pémio Woolmark, desfila no domingo e atrai colaborações (com a Nike para um novo modelo, mas também a Levi's e potencialmente Diesel que estão interessados ​​no fenómeno); ou o escocês Charles Jeffrey, que se tornou, em menos de duas temporadas, o queridinho desta semana da moda e cujo desfile altamente aguardado está marcado para segunda-feira com a sua excêntrica marca Charles Jeffrey Loverboy.
 
Para melhor destacar o talento criativo dos seus jovens filhotes, o British Fashion Council criou o dispositivo The DiscoveryLAB, um espaço para acolher criadores e os seus eventos experienciais que combinam moda, tecnologia, arte e entretenimento. Nesta turné, a plataforma hospeda as apresentações do CV22 Rugby England e Something To Hate On.


Charles Jeffrey Loverboy, um dos desfiles mais aguardados - © PixelFormula

Além da Iceberg, fazem também a sua entrada no calendário de Londres nesta temporada, com o apoio da revista GQ China, a dupla chinesa Haoran Li e Qu Siying com a sua marca Private Policy, e Yea e Shimo Zhou da marca Staffonly. Os quatro foram formados por escolas de moda inglesas.
 
Entre os novos nomes ainda: a marca de street e sportwear de Los Angeles, C2H4; a marca genderless sul-coreana Blindness, lançada em 2013 por KyuYong Shin e  JiSunPark, que até agora desfilou em Seul e foi uma das 21 finalistas do prémio LVMH este ano, para não mencionar a designer irlandesa Sharon Wauchob, que já desfila em Londres com a sua coleção feminina. Wauchob estará na Semana Masculina com o projeto Sharon Wauchob x Norton & Sons, realizado com o histórico alfaiate de Savile Row.
 
As festas estão também garantidas para animar estes dias, com eventos especiais da Topman e a festa exclusiva da Burberry. No encerramento, na segunda-feira de manhã, David Beckham celebrará o melhor jovem talento britânico da indústria da moda no Designers Showrooms, criado pela London Fashion Week e pelo Conselho Britânico de Moda para apoiar jovens artistas.

Traduzido por Isabel Pimentel

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirModa - DiversosLuxo - Pronto-a-vestirLuxo - DiversosDesfiles