Londres: olá ecologia, adeus Christopher Bailey

Mais limpo, mais brilhante, mais verde! A London Fashion Week arrancou na sexta-feira (16) de manhã com um enorme impulso para tornar tudo ainda mais ecológico e com uma agridoce despedida ao mais bem-sucedido designer britânico deste século.


Vivienne Westwood - Photo: Archive

A liderar o movimento ecológico está a iniciativa Positive Fashion do British Fashion Council (BFC), que juntou o presidente da câmara de Londres, Sadiq Khan, e Vivienne Westwood numa campanha para encorajar as casas e marcas de moda a optarem por fornecedores de energia verde até 2020. É nesse ano que o Acordo de Paris entra em vigor para dar resposta às alterações climáticas e limitar o aumento das temperaturas a 1,5ºC.
 
Marcas tão diversas como Belstaff, Christopher Raeburn, E.Tautz, Harvey Nichols, Kering, Marks & Spencer, Oliver Spencer, Selfridges, Stella McCartney e a própria Vivienne Westwood já se comprometeram com a iniciativa.
 
Vivienne Westwood disse: “As pessoas perguntam “o que posso fazer para ajudar a salvar o meio ambiente?”, e durante todo o meu percurso como ativista nunca tive uma resposta satisfatória. Agora, sabemos o que fazer: mudar para um fornecedor de energia verde.”
 
A iniciativa Eco-Age, apoiada pelo BFC, está a criar uma série de looks únicos de diferentes países da Commonwealth, que serão expostos no Palácio de Buckingham. Com o apoio do Commonwealth Fashion Council, a presença na receção organizada para o lançamento desta coleção será limitada a convidados de países da Commonwealth. E diziam que o Brexit era ultranacionalista e excludente?


Ver o desfile
Burberry - primavera-verão 2018 - Moda feminina - Londres - © PixelFormula

Esta será também a semana do último desfile para a Burberry do talentoso designer Christopher Bailey. O desfile irá acontecer nos Dimco Buildings, uma gigantesca estrutura vitoriana do século XIX, originalmente construída para funcionar como oficina da Central Line do metro de Londres. Posteriormente, serviu de cenário para a filmagem do filme Quem tramou Roger Rabbit?.
 
Embora ninguém deva esperar ver um coelho sair da cartola neste desfile. O que é uma pena, porque, honestamente, a principal razão para o Reino Unido ter uma grande marca de moda, a Burberry, é a imaginação excecional de Bailey e a sua capacidade para criar coleções numa terra de aridez artística. Será sentida a sua falta.  

O BFC também está na vanguarda no que diz respeito a garantir o bem-estar dos modelos durante a temporada de desfiles. A organização criou, este mês, a Model Zone (zona de modelos), um espaço reservado onde estes podem comer, beber e relaxar entre desfiles, apoiado por marcas como Breather, Weleda, Curaprox e Fulfil.
 
A capital britânica acolherá também uma série de palestras e workshops organizados pela Mulberry na Spencer House, com convidados que irão partilhar a paixão da marca pelo artesanato, moda e singularidade. Idealizados pelo refinado designer da Mulberry, Johnny Coca, estes eventos incluirão demonstrações artesanais, uma apresentação de chapelaria por Noel Stewart e uma masterclass sobre a bebida de eleição em Londres, o gin, dada pelo destilador Valentine Warner.

Já os fashionistas interessados em ver uma boa exposição podem visitar o Palácio de Kensington para ver uma sobre a princesa Diana, que, ainda que fosse da Commonwealth, não era exatamente a pessoa favorita do Palácio de Buckingham. Intitulada “Diana: Her Fashion History” (Diana: a sua história de moda), a exposição apresenta os seu outfits mais icónicos.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirModa - AcessóriosLuxo - Pronto-a-vestirLuxo - AcessóriosDesfilesCriação