Michael Kors vê vendas comparáveis caírem menos do que o esperado

A Michael Kors Holdings Ltd reportou uma queda menor do que o esperado nas suas vendas comparáveis do trimestre festivo de final do ano, durante o qual a empresa de produtos de luxo cortou nas promoções com o intuito de revigorar as vendas e restaurar o prestígio da marca.  



As ações da empresa, que também aumentou a sua previsão de vendas para o ano inteiro, subiram quase 8% antes da abertura do mercado norte-americano na quarta-feira.
 
A Michael Kors declarou que as vendas comparáveis caíam 3,2% no terceiro trimestre, encerrado a 30 de dezembro, bastante abaixo da estimativa dos analistas, que previam em média um declínio de 6,8%, de acordo com a Thomson Reuters I/B/E/S.
 
Em tempos um dos nomes mais populares no segmento do luxo acessível, a Michael Kors aumentou a disponibilidade dos seus produtos e apoiou-se em promoções para impulsionar as vendas perante o crescimento do comércio online.
 
Mas, esta estratégia levou a um declínio na receita que se prolongou durante um ano, terminando no último trimestre quando a Kors limitou o abastecimento a grandes armazéns e canais de promoções, atualizou a sua linha de produtos e encerrou lojas com baixo desempenho. A empresa havia anunciado a sua intenção de cortar nas promoções no período festivo do fim do ano em 67 dias em grandes armazéns e canais de promoções e em quase dois terços nas lojas e no site.
 
A decisão ajudou a receita total da Kors a crescer pelo segundo trimestre consecutivo, aumentando 6,5% para 1,44 mil milhões de dólares (1,17 mil milhões de euros). Este resultado foi também dinamizado por dois meses de vendas da Jimmy Choo, a marca de calçado de luxo comprada pela Michael Kors no ano passado. A Jimmy Choo gerou um volume de negócios de 114,7 milhões de dólares (93,30 milhões de euros).
 
O impulso da Jimmy Choo ajudou a empresa a aumentar a sua previsão de receita para o ano inteiro de 4,59 mil milhões de dólares (3,73 mil milhões de euros) para 4,66 mil milhões de dólares (3,79 mil milhões de euros).
 
O lucro líquido da Michael Kors caiu para 219,4 milhões de dólares (178,47 milhões de euros), ou 1,42 dólares (1,16 euros) por ação, contra 271,3 milhões de dólares (220,69 milhões de euros) ou 1,64 dólares (1,33 euros), devido ao aumento nos custos e a uma subida nos impostos.
 
Excluindo eventos excecionais, a empresa ganhou 1,77 dólares (1,44 euros) por ação, ultrapassando as estimativas de 1,29 dólares (1,05 euros) dos analistas. 

Traduzido por Estela Ataíde

© Thomson Reuters 2018 All rights reserved.

Moda - Pronto-a-vestirModa - AcessóriosModa - CalçadosNegócios