Milão recebe uma Semana de Moda rejuvenescida, mais internacional e sustentável

Depois de Nova Iorque e Londres, é a vez de Milão receber a Semana da Moda dedicada às coleções femininas para a primavera / verão de 2018, que está prevista para invadir a capital da Lombardia de 20 a 25 de setembro, com um programa intenso e vários eventos especiais.


Marco De Vincenzo, um dos designers mais aplaudidos em Milão - © PixelFormula

Sinal dessa nova energia que paira na cidade italiana são os inúmeros eventos em "off" adicionados ao calendário oficial, e a quantidade de marcas estrangeiras que escolheram Milão para apresentar a sua coleção, como as chinesas Angel Chen, Annakiki, Ricostru, a israelita Daizy Shely, bem como a japonesa Mitsuru Nishizaki com a linha Ujoh, e Atsushi Nakashima.

A estes junta-se o coreano Younchan Chung, que estreia nas passarelas de Milão na quinta-feira (21) com a marca unissexo The-Sirius. No sábado (23), depois de desfilar em Nova Iorque, o designer chinês Xinyin Xu chega à Europa com a sua marca Vicky'z (Vicky Zhang), dedicada às mulheres e aos seus filhos.

"A Itália está mais uma vez no centro da moda. Com a Semana de Moda de Milão, queremos tornarnos num pólo atraente para a criatividade e os compradores. Para isso, queremos ampliar, investindo na internacionalização e multiplicando eventos”, ressaltou o presidente da Camera Nazionale della Moda Italiana (Câmara da Moda Italiana), Carlo Capasa.

Entre os destaques desta Semana de Moda de Milão está a estreia de três novos diretores artísticos em grandes marcas: Paul Surridge para a Roberto Cavalli, no dia 22, e o casal Lucie e Luke Meier para a Jil Sander, no dia seguinte.


Albino Teodoro volta a apresentar-se na Semana de Moda de Milão - maisonalbino.com

Outro regresso esperado é o do designer Albino D'Amato, que não se apresenta no calendário oficial desde a primavera/verão de 2012. Também vale a pena mencionar a estreia de Lavinia Biagiotti, que continua o legado da sua mãe, Laura Biagiotti, que morreu em maio passado, na direção da marca que com o seu nome.

Também haverá a estreia do coreano The-Sirius nas passarelas de Milão, bem como do designer calabrês, Nicola Brognano (27 anos), vencedor do prémio de jovens estilistas, "Who Is On Next?" de 2016. Nicola apresenta-se no dia 22, e Ssheena, marca fundada pela milanesa Sabrina Mandelli, fechará a Semana de Moda na segunda-feira (25), com um desfile/show no coração da cidade, a Piazza Duomo.

Um grande destaque será dado aos jovens talentos também através da "Fashion Hub Market", que abriga 14 talentos promissores nesta temporada. Este espaço de showroom é oferecido pela Camera Nazionale della Moda Italiana, que recompensará pela primeira vez um desses jovens, com um prémio criado em parceria com a DHL, na quinta-feira (21).

A Semana será marcada por uma série de eventos e celebrações paralelas: o 100º aniversário da célebre loja de departamentos La Rinascente, o 50º aniversário da joalharia de culto Pomellato, o 20º aniversário da direção criativa de Angela Missoni, entre outras.

A noite mais esperada está prevista para domingo, 24 de setembro, no importante teatro Scala, que vai sediar o evento "The Green Carpet Fashion Awards Italia”, considerado o "Oscar" da moda sustentável. O concurso para jovens designers eco-responsáveis foi criado pela Camera Nazionale della Moda Italiana (CNMI) em parceria com a agência de consultoria britânica Eco-Age.


Elisabetta Franchi vai realizar o seu desfile fora do calendário nesta temporada

No total, esta Semana da Moda mostrará 159 coleções e 63 desfiles oficiais (em comparação com 174 coleções e 70 desfiles oficiais em fevereiro passado), além de várias apresentações na seção de eventos, como Maryling, John Richmond e Agnona. Também haverá desfiles fora do calendário oficial, incluindo os de Dolce & Gabbana, no domingo (24), Erika Cavallini, Giada, entre outros.

Os organizadores tiveram uma grande dificuldade, de facto, para agradar a todos. O dia de encerramento, segunda-feira, perdeu o brilho desde que Giorgio Armani o trocou pela sexta-feira. Resultado: pequenas marcas e grandes maisons invadiram os primeiros cinco dias da Semana de Moda e algumas saíram do calendário, como Elisabetta Franchi, ou alteraram as datas e horários no último minuto, como Philosophy e Mila Schön.

Pelo menos 11 nomes já não estão no calendário desta temporada, não só pelos motivos já citados, mas por outros: Elisabetta Franchi, Rich, Fay, Wunderkind, Situacionista, Xu Zhi, Leitmotiv e Diesel Black Gold optaram por um desfile misto para homens e mulheres em junho, Emporio Armani escolheu Londres desta vez para celebrar a reforma da loja de Mayfair, Emilio Pucci optou por uma apresentação logo após a partida do seu diretor criativo Massimo Giorgetti, assim como Angelo Marani, cujo fundador morreu no início do ano.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirDesfilesEventos