O novo Ovo de Colombo da ITV dá pelo nome de Inbictum

O mais recente e luminoso Ovo de Colombo da nossa ITV é a Inbictum, uma marca de moda e start up tecnológica que percebeu que multiplica por 100 as suas hipóteses de sucesso se em vez de tentar impingir um produto qualquer ao consumidor lhe perguntar primeiro de que tipo de roupa é que ele está mesmo a precisar.


Com centro de gravidade na Zona industrial de S. Veríssimo, em Barcelos, Inbictum deu nas vistas ao vencer o prémio Smartest Product do iTechStyle Summit 2018 com o icojactek, um casaco com revestimento de cortiça e um sistema eletrónico integrado que lhe permite conectar-se sem fios com um smartphone – e possibilitar-nos assim ouvir a nossa playlist no Spotify ou saber quantos quilómetros  já andamos hoje, entre muitas outras coisas.

Hugo Miranda – na foto com o icojactek –, um jovem engenheiro eletrotécnico especializado em telecomunicações, é o CEO desta empresa e líder de uma equipa de cinco que combina saberes de duas gerações e de diferentes disciplinas – os outros quatro são Susana Meireles (doutorada em Ciências Biomédicas), João Silva (programador), Marcos Alves (designer) e Maria Fernanda (confeção de protótipos).

A Inbictum é uma espécie de Júlio Verne da nossa têxtil já que o seu desafio é estar sempre a antecipar o futuro, desenvolvendo produtos absolutamente inovadores, em diferentes vertentes da relação entre produto e cliente.

No stand da Barcelcom, na última ISPO de Munique, em vez do tradicional catálogo em papel estava um mupi inventado e desenvolvido pela Inbictum que dialogava com o potencial comprador, mostrando-lhe as características de toda a gama de produtos da empresa – e enviando-lhe para o mail a informação sobre os produtos em que ele está interessado.

Ser um alfaite 4.0, criando e desenvolvendo roupas à medida das necessidades ainda não satisfeitas dos consumidores, é o pão com manteiga da atividade da empresa de Hugo Miranda, que inicia o ciclo de vida dos seus produtos perguntando a segmentos específicos do mercado o que é que lhes faz falta.

Exemplos? Antes de começar a desenvolver um polo para golfistas, a Inbictum foi perguntar-lhes que características especificas devia ter esse produto e ficou a saber que teria de repelir  água (não raro o dia está risonho no inicio da volta mas a meio desata a chover) e anti-mosquito – irritante inseto especialmente ativo nas imediações dos lagos nos campos do sul. A partir destas necessidades concretas, criou e desenvolveu o polo ideal para golfistas, que depois de testado e melhorado foi posto em produção.   

“Focado em ouvir os consumidores, o nosso modelo de negócio consiste em integrar eletrónica na têxtil, desenvolvendo roupas técnicas, inteligentes e funcionais para satisfazer necessidades não atendidas de segmentos específicos do mercado”, resume Hugo.

O Sporting de Braga precisa de coletes com GPS integrado, que lhes permite recolher todas as informações sobre a performance de cada um dos seus futebolistas ao longo dos 90 minutos de um jogo? A Inbictum resolve.

Mas, além de inovadora e estar sempre muito à frente, a Inbictum também sabe voar em formação e trabalhar em cooperação com outras empresas – com a Tintex está desenvolver uma malha com sensores integrados que emite informação variada (temperatura, qualidade do ar, etc,etc)  por bluetooth; e com a Barcelcom criou uma meia para futebolistas que liberta um produto anti-inflamatório e tem um bolso para enfiar as caneleiras.

Copyright © Jornal T. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirInovações