Patrice Wagner fala sobre a loja online @24 Sevres e o futuro do varejo

As lojas de departamento do mundo todo estão em movimento. Os europeus estão abrindo novas flagships em terras distantes, enquanto os americanos vêm um momento de estagnação em suas cadeias nos Estados Unidos, vítimas de uma crescente concorrência de Internet. No entanto, em Paris, o Le Bon Marché continua atraindo parisienses e turistas afluentes em sua localização icônica em St Germain.

Le Bon Marché CEO Patrice Wagner

Esse famoso templo da moda, a primeira verdadeira loja de departamentos do mundo, foi o cenário do lançamento físico do @24Sevres, o novo site de compras high-end criado pelo conglomerado de luxo LVMH, que também possui o Le Bon Marché. O comércio online e a loja de departamentos estão separados legalmente, no entanto, claramente trabalham lado a lado.
 
"É uma abordagem coletiva. Em termos de trabalho, somos os únicos que negociam com as marcas. Sozinhas elas não conseguiriam isso. E, sozinhos, nós não seríamos capazes de desenvolver a web com tanto sucesso", explicou Patrice Wagner, CEO do Le Bon Marché, localizado no número 24 da rue de Sevres, no 7º arrondissement de Paris.

O @24Sevres estreou na manhã de terça-feira (6) com 70 produtos, edições limitadas feitas em colaboração com marcas internacionais famosas ou hip, como Miu Miu, Chloé, Barrie, Tory Burch e Olympia Le Tan, junto com cerca de 10 marcas LVMH.
 
"Não é uma edição tão limitada como a personalização da moda e do luxo. A edição limitada é excelente, mas é apenas um tiro. Com a personalização você dá ao cliente algo exclusivo. Nós acreditamos muito nisso", explicou Wagner.
 
Fundado em 1832, O Le Bon Marché revolucionou o varejo há um século. O empresário Aristide Boucicaut aumentou a equipe inicial de apenas doze pessoas para 1.788 até 1879; abriu uma sala de leitura para os maridos cujas esposas estavam comprando; enviou seis milhões de catálogos aos clientes (um conceito inventado por ele); e contratou muitas mulheres, compondo metade de sua equipe, muitas delas viviam em dormitórios nos andares superiores. Esse sucesso continua até hoje. Na metade da última década, poucas lojas de departamentos do mundo performaram como o Le Bon Marché, que teve crescimento de vendas de dois dígitos em cada um dos últimos quatro anos. Mas não espere que a loja de departamentos abra uma unidade longe da França tão cedo.
 

Le Bon Marché in St Germain, Paris

"Todo mundo quer abrir uma nova loja em uma capital estrangeira. Mas há muitas boas razões pelas quais isso não funcionará. A verdade é que que conhece o Le Bon Marché em Paris sempre ficará desapontado com uma nova versão no exterior. Porque eles sempre vão comparar com este ótimo espaço. E eles nunca vão ter a mesma experiência ou o mesmo ambiente. Isso já é um ponto negativo!", argumentou Wagner.
 
De olho no futuro, Wagner planeja manter a incursão da LVMH na internet com vendas regulares de novas linhas de produtos e categorias da @24 Sevres. Já o Le Bon Marché tem seu próprio site, mas a loja é prejudicada, pois não tem o controle de sua marca no Reino Unido ou nos EUA.
 
"Nos EUA, a marca pertence atualmente à Macy's, apesar de estarmos trabalhando junto com um escritório de advocacia especializado para mudar isso. No Reino Unido, é uma marca feita para senhoras que usam tamanhos maiores", explicou Wagner.
  
"Com a @24Sevres, nosso objetivo era entrar no novo século. Hoje, a web nos oferece mais possibilidades do que abrir uma nova loja física", comentou Wagner, que seguiu a tradição do seu distante predecessor, Boucicaut, organizando exposições de arte, com nomes de Ai Weiwei a Grace Jones.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2017 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Arte na mesaDistribuição