Pharrell fala sobre aparência, sneakers e seu filme Atlantis, na Colette

"A nossa sociedade está a sufocar sob as aparências. Hoje, concentramo-nos apenas na superfície das coisas; as pessoas raramente se questionam sobre o que significam. A humanidade está a retomar a ideia de que o simbolismo é importante, basta ver como usamos emojis nos nossos smartphones, como hieróglifos ou símbolos que têm, de facto, um significado profundo", afirmou Pharrell Williams numa entrevista gravada a 21 de novembro pela Chanel na loja Colette, em Paris, no período em que a marca parisiense assumiu o primeiro andar da loja situada na Rue Saint-Honoré.


Pharrell Williams em entrevista na Colette, no dia 21 de novembro de 2017. - Photo: Godfrey Deeny/ FashionNetwork.com

A entrevista também foi uma oportunidade para Pharrell lançar uma edição limitada do novo modelo de sneaker Adidas Originals = Pharrell Williams HU NMD. Apenas 500 pares serão vendidos a um preço de 1.000 euros na concept store parisiense, que fechará as portas no próximo mês, após 20 anos de existência.

Além da moda, o próximo grande projeto do cantor americano é um filme musical inspirado na sua infância em Virginia Beach, Virgínia. "Será centrado na audácia que é preciso para sonhar e no meu antigo bairro, que se assemelha à maioria das unidades habitacionais. Haverá muitas crianças, música, onde a criatividade borbulha e a imaginação não tem limites. Chamavam ao meu bairro Atlantis - mas, não tinha nada a ver com a Atlântida, a cidade engolida pelo oceano. Havia apenas uma entrada e uma saída - a verdadeira Atlântida tinha muitas portas e era mais próspera", diz Pharrell Williams durante a entrevista. A discussão foi parte de uma série de outros podcasts realizados pela jornalista de moda e cultura Daphne Hezard, que entrevistou celebridades como Clémence Poésy, Céline Sallette, Leïla Slimani e Sébastien Tellier como parte do mês da Chanel no primeiro andar da loja Colette.

"Sou mais feliz a criar em Miami, Tóquio ou Paris, e mais criativo pela manhã, em jejum. A comida pesa-me", disse o artista americano, que revelou a Daphne Hezard como se prepara antes dos seus concertos: "Antes de subir ao palco, rezo com toda a minha equipa. Não tenho métodos ou regras bem definidas, só percebo quando os meus amigos as mencionam. Existe uma dose saudável de ilusão em qualquer artista. Porque se não se acredita, não parece real”, acrescenta.

Uma longa fila de espera estende-se em redor do prédio. Pharrell Williams tem uma parceria de longa data com a Chanel. Recentemente, apareceu na campanha publicitária da carteira Gabrielle a fazer acrobacias num estúdio de cinema. A sua relação com a marca remonta à campanha para as artes e ofícios realizada em Salzburgo, em 2014. Na altura, Pharrell fez um dueto com Cara Delevingne.
 
“Eu costumava reparar no monograma CC quando era criança. Lembro-me do dia em que comprei o meu primeiro cinto Chanel e quando a Adidas e a Chanel aceitaram colaborar com este modelo de sneaker tive dificuldade em acreditar. Mas, é importante trabalhar apenas com os melhores", brinca Williams, vestido com uma sweater da marca Human Made, um boné com o slogan “Plant", sobre cabelos tingidos de laranja brilhante, e os seus sneakers de 1.000 euros.

Ao perguntarem se gostaria de ter trabalhado com alguém do passado, responde, após uma longa pausa: "Jimi Hendrix!"

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - DiversosPersonalidades