Primark otimista com aumento das vendas e margens fortes

A Primark continua a ser o motor de crescimento da sua empresa-mãe, a Associated British Foods (ABF). A empresa britânica divulgou na quinta-feira uma atualização de resultados do seu último ano fiscal, revelando que enquanto a receita do grupo cresceram 3% em moeda constante e 2% a taxas de câmbio reais, a Primark superou esses números sem dificuldade.


Primark

A ABF explicou que, nas 40 semanas decorridas até 23 de junho, as vendas totais da Primark subiram 6% (moeda constante) ou 7% a taxas de câmbio reais, impulsionadas pela ampliação do espaço de venda a retalho. O crescimento foi marginalmente inferior no terceiro trimestre do que o desempenho apresentado no primeiro semestre, algo que não parece ser motivo de preocupação, já que a empresa afirma que “reflete a última etapa de crescimento espacial do ano”.
 
De facto, as vendas comparáveis do último trimestre melhoraram relativamente às do primeiro semestre, impulsionadas por um melhor comércio em toda a zona euro. As vendas das suas primeiras quatro lojas em Itália continuam a ser muito boas. O negócio no Reino Unido teve um bom desempenho e apresentou um crescimento nas vendas comparáveis, embora tenha sido inferior ao alcançado no primeiro semestre. E a empresa afirma ainda que se sente "encorajada pelo comércio nas lojas [reduzidas] em Freehold e Danbury, nos Estados Unidos".

A margem operacional do primeiro semestre foi de 9,8%, pouco abaixo dos 10% alcançados no mesmo período do ano passado, “com uma melhoria em compras que praticamente compensa o efeito adverso da taxa de câmbio do dólar americano".

A empresa espera que a margem no segundo semestre esteja "bem acima" da primeira metade e supere a do ano passado "com o benefício contínuo pela melhoria das compras e pelo efeito benéfico do enfraquecimento da taxa de câmbio do dólar americano em compras". A gestão de stocks foi rigorosamente gerida e os descontos, “embora mais numerosos do que no ano passado, serão ainda melhores do que o esperado e, como resultado, o lucro da Primark será superior ao esperado”.

O espaço de venda a retalho aumentou em quase 75 mil metros quadrados desde o início do ano fiscal. A Primark opera agora 358 lojas, com 1,366 milhões de metros quadrados. Foram inauguradas sete novas lojas em Munique, Metz, Antuérpia, Valência, Tilburg, Burnley e no centro comercial Westfield London, em Londres.

A Primark espera adicionar mais 9 mil metros quadrados de espaço adicional de vendas até ao final deste ano fiscal, incluindo uma nova loja no Brooklyn, a sua nona nos Estados Unidos, e a mudança para um espaço maior da loja de Islazul, em Madrid. A abertura de novas lojas em Toulouse (França) e Ingolstadt (Alemanha) foi adiada, devendo acontecer no início do próximo ano fiscal.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirModa - AcessóriosModa - CalçadosModa - DiversosNegócios