Produção de algodão deverá crescer acima do consumo

Com um aumento de produção na casa dos dois dígitos, a utilização de algodão pela indústria têxtil mundial deverá crescer apenas abaixo dos 3%. Mesmo com a redução da diferença de preços entre o algodão e as fibras de poliéster verificada a partir de meados do ano, o recurso às fibras deverá manter-se em alta.


As previsões são do ICAC (International Cotton Advisory Committee), que apontam para um crescimento de 12% na colheita de algodão em 2017/18, correspondente a 25,74 milhões de toneladas produzidas em todo o mundo. Números que indicam um aumento de produção generalizado em todos os principais países produtores, incluindo China, Brasil, África francófona e Turquia.

Já quanto ao recurso às fibras de algodão pela indústria mundial, o ICAC estima que deverá crescer apenas 2,85%, consumindo algo como 25,22 milhões de toneladas. No caso da China, as previsões apontam mesmo para a manutenção do nível de importações com o crescimento da produção a ser sustentado pela redução de stocks.

Os números agora avançados pelo órgão que monitoriza o mercado mundial de algodão indicam assim que, ao contrário das últimas colheitas, a produção de 2017/18 será superior ao consumo. Em 2015/15 a produção foi de 21, 48 milhões de toneladas para um consumo de 24,18; Em 2016/17 produziram-se 23 milhões e o consumo atingiu 24,52 milhões.

Para 2017/18 a produção de 25,74 milhões de toneladas deverá superar assim as 25,22 previstas para o consumo da indústria mundial.

Copyright © Jornal T. Todos os direitos reservados.

ModaIndústria