Puma prevê crescimento de 10% para 2018

A marca alemã de roupas esportivas, Puma, disse na segunda-feira que espera aumentar seu lucro operacional em um terço em 2018 e elevar as vendas em 10%, depois de reportar vendas e lucros sólidos no quarto trimestre, ajudados pela forte demanda de calçados.


As vendas da Puma aumentaram 15,9% em moeda constante em 2017 - Photo: Puma

A Puma, que permanece atrás da sua rival alemã Adidas e a líder de mercado, Nike, tem obtido bons resultados nos últimos anos, concentrando em futebol, corrida e automobilismo e reforçando seus produtos femininos através de parcerias com celebridades, como a cantora Rihanna.

A Puma anunciou que seus ganhos trimestrais antes de juros e impostos mais que duplicaram para 30 milhões de euros, com vendas ajustadas com crescimento de 14,5% para 1,04 bilhões de euros, em linha com as previsões médias de analistas.

O crescimento das vendas foi particularmente forte para o seu negócio principal de calçados, com aumento de 19%, considerando as flutuações cambiais. O crescimento das vendas foi mais forte (+ 18,5%) na Europa, Oriente Médio e África, seguido das Américas (+ 14%).

A Puma, que viu suas ações caírem no mês passado depois que o grupo Kering anunciou que venderia a marca para seus acionistas, anunciou planos para distribuir um dividendo único de 12,50 euros por ação para 2017.

O presidente-executivo da Puma, Bjorn Gulden, disse que o desempenho construído em 2017, juntamente com feedback positivo de consumidores e parceiros de varejo, deixou a empresa otimista para 2018, prevendo um aumento de 10% nas vendas em moedas constantes.

Para 2018, a Puma espera um EBITDA entre 305 milhões e 325 milhões de euros, contra 245 milhões de euros em 2017.

Traduzido por Novello Dariella

copyright_reutersapi

Moda - CalçadosDesportoNegócios