Recorde absoluto nas exportações

5.237 milhões de euros. Foi este o valor das exportações de têxteis e vestuário portuguesas em 2017: o maior número de sempre de vendas ao exterior, superando até em 4% os resultados do ano de 2016 (5.035 milhões de euros), que já tinham sido promissores.



Os dados revelados hoje pelo INE e trabalhados pela ATP revelam que foram as matérias têxteis aquelas que mais aumentaram percentualmente as suas vendas, com um crescimento de 10%. A seguir vêm as exportações de vestuário, com um aumento de 3%, e têxteis-lar, com 1%.

No que diz respeito aos destinos, Espanha continua a ser o nosso maior cliente (com 34% da quota) – muito embora tenha tido uma quebra de 0,6% relativamente ao ano de 2016, algo que acontece pela primeira vez nos últimos anos. Destaque para os EUA, cujas exportações aumentaram em 20% (cerca de 54 milhões de euros), recebendo já 6% do total dos nossos materiais exportados. França teve um aumento de 12%, Itália e Holanda 11% e a Alemanha mais 4%. Especial relevância para Angola que, embora seja o 13º destino de vendas, subiu 47 pontos percentuais relativamente ao período homólogo.

Do lado das quedas, para além de Espanha, assinalar a descida de 1,7% nas exportações para o Reino Unido (com as culpas a recaírem sobre o Brexit) e de 22% para a Tunísia.

O saldo da balança comercial do setor, em 2017, foi de 1.098 milhões de euros, com uma taxa de cobertura de 127%.

Copyright © Jornal T. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirTêxtilNegócios