Rita Sá brilha em Berlim

A jovem designer, que desfila na plataforma Sangue Novo da Modalisboa, não venceu mas convenceu do seu talento o júri internacional do Concurso Europeu de Moda Rebelpin, que elogiou a coleção, já premiada internacionalmente, “Telhados de Vidro”, que Rita Sá concebeu com o patrocínio da Tintex.


A final do Concurso de Moda Rebelpin, organizado pela ACTE – Associação das Coletividades Têxteis Europeias, premiou a sueca Malin Busck, na categoria “Jovem Empreendedor”, onde concorria a única representante portuguesa. Na categoria “Estudante”, a vencedora foi a alemã Sanna Schubert, enquanto a espanhola Julia Velázquez conquistou a votação do público.

Os trabalhos dos 10 designers finalistas, divididos pelas duas categorias, estavam subordinados ao tema “Light in the night”, pretendendo-se com o mesmo incentivar a criação de soluções glamourosas, inovadoras e sustentáveis, que brilhassem e se destacassem na escuridão.

Embora sem ter ganho, Rita Sá recebeu elogios por parte do júri internacional, constituído por Daniel Perez-Barriga, diretor de comunicação de marca da Desigual (Espanha), Anna Appelqvist, diretora de marca na Gina Tricot AB (Suécia), Lisa Lang, fundadora do The Power House Group (Alemanha), Inês Marques, designer têxtil na Adalberto (Portugal), Małgorzata Czudak, professor da Academia de Belas Artes de Lodz (Polónia) e Vivilla Zampini, psicóloga ocupacional e CEO da Es’Givien (Itália).

A Berlim, a designer, formada pela ESAD, levou a sua coleção para o outono-inverno 2018/2019, batizada Telhados de Vidro, que apresentou na última edição da ModaLisboa. Patrocinada pela Tintex, a coleção pinta-se de azul, numa referência aos sacos plásticos e à ideia de descartabilidade.

Partindo do provérbio português “Quem tem telhados de vidro não atira pedras aos dos vizinhos”, a coleção tem ganho destaque e garantiu já vários prémios à designer. Na ModaLisboa, arrecadou o prémio Fashion Clash, que a levou à Holanda, onde, por sua vez, foi a designer eleita para apresentar a coleção na Vancouver Fashion Week.

Passos importantes no percurso da jovem designer, de apenas 21 anos. «O meu objetivo é aprofundar este universo da marca própria e, em paralelo, fazer alguns trabalhos para a indústria», afirmou ao Portugal Têxtil durante a última edição da ModaLisboa.

O concurso Rebelpin, cuja final decorreu integrada na Berlin Fashion Week, foi criado pela ACTE com o objetivo de promover a criatividade e a competitividade dos jovens designers europeus, como explica, em comunicado, a AMAVE – Associação de Municípios do Vale do Ave e da autarquia de Santo Tirso, um dos cofundadores da ACTE, que detém atualmente os cargos de vice-presidência portuguesa e secretaria executiva da associação.

Joaquim Couto, presidente do conselho diretivo da AMAVE, elogiou a «excelente qualidade e competitividade dos estilistas presentes», sublinhando que «este evento constituiu uma oportunidade única de valorização dos jovens talentos nacionais e europeus e a plataforma ideal para desenvolveram uma rede de contactos muito importante».

Copyright © 2018 Portugal Têxtil. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirCriação