Salsa fatura 195 milhões e vai abrir 15 novas lojas

Os planos de expansão da Salsa contemplam a abertura de 15 novas lojas – entre Portugal, Espanha e França, sendo que a aposta mais forte será no pais vizinho – e nove remodelações.


Numa entrevista publicada na última edição do Briefing, Rita Calheiros, Brand & Marketing Diretor da Salsa, anuncia que o grupo fechou o exercício de 2017 com uma volume de negócios de 195 milhões de euros.

Eis o essencial da entrevista de Rita ao Briefing, em dez destaques escolhidos pelo T:

Crise. Há vários estudos que comprovam que o vestuário é das primeiras coisas em que se corta, muito antes da alimentação. Portanto, acabámos por sofrer com isso.

Dimensão. Temos mais de 100 lojas monomarca, sete outlets e mais de 2 000 pontos de marca. E estamos presentes em 85 armazéns do El Corte Inglés e em department store como as Galerias Lafayette e House of Fraser. 

Evolução. Uma grande evolução que fizemos foi para os jeans técnicos e daí uma agregação de valor através de tecnologias.

Fast fashion. Nos últimos anos deu-se uma grande viragem no mercado de retalho de vestuário: cada vez mais existem cadeias de fast fashion, não só as do grupo Inditex, mas a Primark e Forever 21, o que, numa época de crise económica, acabou por mudar o mind set do consumo.

Marca. Em Portugal, a Salsa está há 23 anos, tem uma elevada notoriedade, mas precisa de resgatar algum desejo. A marca é conhecida, mas perdeu consideração e desejo nos últimos tempos e nós queremos procurar outros tipos de target.

Objetivo. O nosso objetivo é ser a marca de jeanswear que melhor veste no mundo.

Omnicanal. Atém de termos uma estratégia multicanal, temos uma estratégia omnicanal. ou seja, se o nosso cliente for a uma loja física e não encontrar o produto que pretende, rapidamente vemos se temos stock online e facilmente lho fazemos chegar – a casa, à loja ou a um local pick me. E vice-versa, pode comprar online e levantar em loja.

Online. Hoje o mercado online já representa 9 a 12% da faturação. E os market places são um ponto de enorme interesse onde queremos aprofundar as estratégias de negócio. E a tendência é crescer.

Posicionamento. A Salsa não vai ser nunca uma marca para as fashion victims – não somos a marca da última tendência de moda, até porque o nosso modelo não é assente em fast fashion. Somos uma marca que está atenta às tendências, mas que acima de tudo quer proporcionar uma colecção e um produto em que o custo/benefício valha a pena para o nosso cliente, que encontre um valor agregado na peça. Esse é o novo posicionamento que queremos trabalhar a partir de agora.

Sonae. A nível operacional, a Sonae ainda não está no nosso dia a dia. É uma relação bastante informal. Sempre que há necessidade recorremos à Sonae e vice-versa. Não estão formalizadas parcerias oficiais, mas é algo que pode acontecer de um dia para o outro porque temos estratégias e estruturas muito flexíveis.

Copyright © Jornal T. Todos os direitos reservados.

DenimDistribuição
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER