Sucesso da Gucci impulsiona vendas da Kering no quarto trimestre

O grupo de bens de luxo Kering apresentou, na terça-feira, um crescimento maior do que o esperado nas vendas do quarto trimestre, com a marca italiana de moda Gucci a confirmar o seu estatuto como uma das estrelas da indústria em 2017.


Gucci - primavera-verão 2018 - Moda Feminina - Milão - © PixelFormula

Tal como outras empresas na indústria dos bens de luxo, incluindo o grupo rival francês LVMH, a Kering beneficiou de uma forte recuperação da demanda por parte dos consumidores Chineses no ano passado, tanto no mercado doméstico como no estrangeiro, enquanto as crescentes vendas online também impulsionaram o crescimento.
 
A Kering, que também é proprietária da Yves Saint Laurent, foi sobretudo recompensada pela reorganização que tem sido feita na Gucci ao longo dos últimos dois anos. Em janeiro, o grupo anunciou que iria abdicar do controlo da sua marca de roupa desportiva Puma para se focar mais nas suas marcas de luxo.
 
As receitas globais da Kering subiram para 4,26 mil milhões de euros no quarto trimestre, um aumento de 27,4% face ao ano anterior em termos comparáveis, o que não considera aquisições ou flutuações nos tipos de câmbio.
 
Os resultados representam uma ligeira desaceleração do crescimento de 28,4% nos três meses anteriores, mas estão acima dos 24,3% previstos pelos analistas segundo uma pesquisa da Inquiry Financial.
 
“A Kering teve um ano fenomenal em 2017”, disse o presidente e CEO François-Henri Pinault num comunicado, acrescentando que o panorama global permaneceu incerto, mas que a Kering pode “progredir mais que os mercados” em 2018.
 
O impulso na Gucci, que foi reinventada com um novo look sob a direção do designer Alessandro Michele, também abrandou um pouco, mas manteve-se bem acima da maioria das principais marcas concorrentes, com um crescimento comparável nas vendas de quase 43% no trimestre.
 
O diretor financeiro da Kering, Jean-Marc Duplaix, disse aos jornalistas que a Balenciaga, também parte do grupo, registou maior crescimento do que a Gucci no segundo semestre de 2017.
 
A Kering reportou um aumento de 56,3% no lucro operacional ajustado para 2,95 mil milhões de euros para o total de 2017, ultrapassando as previsões, enquanto as receitas do ano inteiro subiram 27,2% em bases comparáveis para 15,48 mil milhões.

Traduzido por Estela Ataíde

© Thomson Reuters 2018 Todos os direitos reservados.

Luxo - Pronto-a-vestirLuxo - AcessóriosNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER