Uma solução simples para roupas velhas nos aterros: consciência

Os norte-americanos deitam anualmente ao lixo 15,1 milhões de toneladas de roupas e outros têxteis, sendo que 85% deste volume vai parar em aterros sanitários –  denuncia o Huffington Post, no âmbito da campanha Reclaim com a qual pretende sensibilizar os consumidores e ajudar o mundo a resolver a crise do lixo.

Os aterros sanitários com resíduos têxteis

No processo de decomposição nos aterros sanitários, as roupas libertam uma mistura tóxica de poluentes que inclui gases de efeito estufa: dióxido de carbono e metano.

Uma grande parte de gás de aterro vai para a atmosfera, o que faz desses espaços a terceira maior fonte de emissões de metano nos EUA, segundo a Agência de Proteção Ambiental.O metano é 28 vezes mais eficiente do que o dióxido de carbono na absorção de calor. Isso significa que representa um enorme problema para o aquecimento global.

“Mesmo que conduza um carro híbrido e coma apenas alimentos produzidos de maneira sustentável, se as suas roupas velhas estão se decompondo num aterro, a sua contribuição para o aquecimento global é maior do que pensa”, escreve o Huffington Post.

As regras para manter as roupas longe dos aterros são bastante simples. “Reutilize as roupas o máximo que puder. Quando não for mais possível vesti-las, dê-as a uma obra de beneficência ou utilize-as como trapos”, aconselha Morton Barlaz, professor de Engenharia Ambiental, Civil e de Construção da Universidade Estadual da Carolina do Norte.

Outra opção é entrega a roupa para reciclagem: cadeias como a H&M e a Patagonia (só para citar dois exemplos) têm ativos programas de recolha de roupas usadas.

Os norte-americanos reciclam anualmente cerca de 2,3 milhões de toneladas de resíduos têxteis – o que equivale, em gases de efeito estufa, à eliminação da circulação de  equivalente a 1,2 milhão de carros durante um ano inteiro.

Fonte: T Jornal

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirCampanhas