Vendas da Tendam (Grupo Cortefiel) caem 3,8% no primeiro trimestre

As vendas da Tendam, cadeia de moda que engloba as marcas Cortefiel, Pedro del Hierro, Springfield, Women'Secret e Fifty, desceram 3,8% no seu primeiro trimestre fiscal, compreendido entre 1 de março e 31 maio de 2018, até atingirem os 221,3 milhões de euros, em comparação com os 230,3 milhões de euros registados no mesmo período do exercício anterior, segundo informou a empresa num comunicado.


Macarena García e Pablo López na última campanha da Springfield - Springfield

A empresa de moda explicou que estes resultados foram condicionados por uma Semana Santa mais avançada em termos de datas, por menores vendas de produtos de verão e pelo efeito negativo das taxas de câmbio.

Por outro lado, as receitas dos últimos doze meses permanecem estáveis em relação ao período comparável, após atingirem os 1.145,7 milhões de euros, face aos 1.150,6 milhões de euros no mesmo período do ano anterior.

Jaume Miquel, CEO da Tendam, destacou que neste trimestre a empresa continuou a implementar o seu plano estratégico, “com o aumento do investimento para fortalecer as marcas, digitalização, reforço do sistema CRM e expansão acelerada nos mercados chave”. 

"Os critérios de eficiência na gestão continuaram a ser a base da nossa atuação, resultando em melhorias substanciais na margem e diminuição nos níveis de stock", indicou.

O resultado bruto de exploração (EBITDA) situou-se nos 18 milhões de euros, menos 19% do que os 22,3 milhões de euros registados no mesmo período do exercício precedente, enquanto o EBITDA recorrente calculado nos últimos doze meses atingiu os 165,5 milhões de euros.

Vendas online representam 6,6% do total

O grupo destacou o "forte crescimento" que o comércio eletrónico tem tido neste trimestre, após crescer 21,5% impulsionado pelas marcas Cortefiel e Springfield, que registaram aumentos de cerca de 25%.

A 31 de maio, o canal online representava 6,6% das vendas totais da Tendam, face aos 5,2% que representava no final do mesmo mês do seu exercício anterior.

Por outro lado, as vendas atribuíveis aos clubes ou programas de fidelidade representam 78% das vendas totais.

O CEO confirmou que nos próximos meses a empresa vai acelerar "projetos-chave" nas áreas de CRM para "otimizar a personalização, o multiclube e a multicanalidade" e o digital. "Queremos levar o diálogo com os nossos parceiros para um nível de engagement superior, e temos as ferramentas e a equipa", explicou.

"Na área do digital, durante o segundo semestre do exercício as vendas online serão expandidas a novos mercados estratégicos e será alargada a vendas online a partir de lojas físicas - click shoping - nos nossos principais mercados de gestão própria", avançou.

A Tendam pôs em marcha um plano de expansão que, para o primeiro trimestre fiscal do exercício de 2018/19, fechou com a abertura de 15 pontos de venda líquidos.

Desta forma, a 31 de maio o grupo contava com uma rede de lojas com 2.002 pontos de venda (face aos 1.988 em fevereiro), dos quais 1.195 são próprios, 690 são franquias e 117 são corners, espalhados por 91 países.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 Europa Press. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos aqui apresentados sem o prévio e expresso consentimento.

Moda - Pronto-a-vestirNegócios