Vidas e habilitações variadas levam designers portugueses a singrar na moda

Os criadores de moda portuguesa ouvidos pela Lusa têm percursos de vida escolar variados e habilitações mais breves ou extensas, mas acabaram por formar-se em design de moda para singrar no mercado nacional e no roteiro internacional.

O criador Miguel Vieira, 51 anos, estudou arte e design na Secundária de São João da Madeira e fez o curso de controlo de qualidade têxtil no Instituto Superior de Engenharia Têxtil no Porto.

Uma silhueta da criadora de moda portuguesa Katty Xiomara - Foto: Divulgação

Hoje, a empresa gerida por Miguel Vieira é uma das marcas portuguesas que se destacam nas passarelas portuguesas de eventos como o Portugal Fashion (que regressa ao Porto na próxima semana) ou a Moda Lisboa, com impacto além-fronteiras, como aconteceu recentemente em Milão ou Nova Iorque, onde as suas coleções de outono/inverno tiveram sala cheia e aplausos.

Já Luís Buchinho, 47 anos, que acabou de apresentar a sua coleção outono/inverno em Paris e vai repetir a apresentação no Portugal Fashion, no Porto, no próximo dia 25 de março, conta à Lusa que o seu percurso académico foi “muito breve”.

Depois de terminar o 11.º ano em Setúbal, foi estudar com 17 anos para o Porto, onde fez três anos no Centro de Formação Profissional da Indústria Têxtil, Vestuário, Confeção e Lanifícios (Citex), que hoje se chama se chama Modatex.

Por seu lado, Katty Xiomara, 43 anos, é outra designer portuguesa com pontos de venda no estrangeiro que também estudou no Citex, depois de ter passado pela Escola de Moda do Porto.

“Foi um grande ‘upgrade’ e foi bastante significativo para mim, porque é um ensino mais global, onde o aluno passa por todos os setores da indústria têxtil e aprende matérias mais técnicas e não apenas na área do ‘design’ de moda”, explicou Xiomara.

Pedro Pedro, 43 anos, era para ser advogado, mas passava mais tempo a desenhar nos livros do que a estudar e, quando acabou o secundário, optou por um curso que tivesse uma "componente grande de desenho".

O design de moda só surgiu mais tarde na vida de Pedro Pedro, que também começou no antigo Citex, onde fez dois anos de formação, terminando o curso na Academia de Moda do Porto, trabalhando em paralelo com professores.

Ter ganhado um concurso com as duas criações de moda e ter sido convidado para o Portugal Fashion para apresentar uma coleção ajudou-o a lançar-se, conta, assumindo que se pudesse escolhia Londres para continuar os estudos, por ser a cidade com “mais escolas com saídas e consagradas”, como por exemplo a Central Saint Martins, já classificada como a “melhor escola de moda do mundo”.

A criadora Inês Torcato, 26 anos, que se lançou no Espaço Bloom do Portugal Fashion, e filha do também criador Júlio Torcato, conta à Lusa que fez o ensino secundário na Escola Soares dos Reis, frequentando o curso de Audiovisual.

Depois entrou para a Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, onde esteve três anos, acabando por desistir e voltando-se para os estudos de design de moda, tirando uma licenciatura na Escola Superior de Artes e Design (ESAD) em Matosinhos (Porto).

“Gostava um dia mais tarde, talvez, porque agora estou a começar a marca, e não quero fazer uma pausa para estudar, mas gostava de fazer um mestrado ou um doutoramento lá fora”, afirmou.

Luís Buchinho, Katty Xiomara, Nuno Gama, Nuno Baltasar, Anabela Baldaque ou Maria Gambina são apenas alguns dos portugueses que se formaram no antigo Citex antes de dar os primeiros passos para furar no mundo da moda, mas o Porto é hoje conhecida por ser a localidade portuguesa com maior concentração de escolas de moda do país.

Atualmente existem a Modatex, com uma ligação forte com a indústria, a GUDI, a mais antiga escola de moda do Porto, a ESAD, a Escola Artística Soares dos Reis e a Cooperativa de Ensino Árvore, duas escolas profissionais com cursos profissionais de moda.

Copyright © 2017 Agência LUSA. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirModa - AcessóriosLuxo - Pronto-a-vestirLuxo - AcessóriosCriação