×
Por
Jornal T
Publicado em
7 de set. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

“Falta apoio às empresas, que é muito urgente", diz ATP

Por
Jornal T
Publicado em
7 de set. de 2022

Presente na abertura do Modtissimo, o presidente da ATP queixou-se do esquecimento das empresas por parte do Governo no plano de apoio apresentado esta segunda-feira pelo primeiro-ministro António Costa. “Peca pela falta de apoio às empresas, que é muito urgente”, diz Mário Jorge Machado.


Mário Jorge Machado, presidente da ATP


Num arranque muito concorrido, com grande entusiasmo por parte do expositores e a perspetiva de novo recorde de presença de compradores, tanto nacionais como internacionais, o representante do setor sublinhou que essa falha “tem de ser colmatada” quanto antes, dado que “as encomendas na generalidade das empresas já começaram a descer no mês de junho”.

Em causa está, mais uma vez, o aumento da inflação – que faz com que o aumento do custo da energia acabe por implicar diretamente na diminuição das encomendas. Para Mário Jorge Machado, uma das hipóteses mais interessantes para o setor é o plano proposto pelo Euratex, federação europeia têxtil que, como recordou o presidente da ATP, “propôs a criação de um teto para o preço do gás natural na Europa, que em princípio deveria ser de 80 euros o MG/W, o que já permite incorporar parte da inflação”.

Paralelamente, seria criado um défice tarifário que seria pago “a longo prazo e permitiria assim aliviar o custo das empresas, que neste momento é imensamente superior” ao que se verificava há apenas dois meses.

O facto de ser um projeto europeu permitira ultrapassar os planos nacionais que em alguns casos resultam em decisões contraditórias e que não se conjugam entre si, o que implica perda de recursos e a persistência dos problemas.

Copyright © Jornal T. Todos os direitos reservados.