A febre do calçado desportivo

A crescente onda de interesse do consumidor encaminhou o calçado desportivo para o pódio dos objetos de cobiça, para o estrelato das coleções-cápsula e para o mediatismo das redes sociais. As marcas estão a digladiar-se para acompanhar a corrida.


Ainda que o mercado global de calçado tenha crescido apenas 13% em 2017, o calçado desportivo cresceu 46%, segundo os dados do Euromonitor International. A categoria abrange calçado de performance, desportivo e casual – e todos devem continuar a subir nos próximos anos, analisa o Retail Dive.

Michelle Grant, diretora de retalho do Euromonitor International, antecipa que o calçado desportivo assista a um crescimento de 20% nos próximos cinco anos, comparado a um crescimento de 10% para o calçado total.

No encalço do athleisure

Não se pode olhar para o boom das sapatilhas sem se encontrar uma correlação no florescimento do mercado do athleisure, principal catalisador de grande parte do sucesso que os retalhistas do segmento têm desfrutado.

O facto de os consumidores estarem mais interessados em adotar um estilo de vida ativo e saudável, consistente com as mensagens de marcas como a Outdoor Voices e a Lululemon, também teve o seu papel na transformação de looks desportivos em looks do quotidiano.

As sapatilhas são, também, uma porta de entrada fácil para o mercado de athleisure e, hoje, o streetwear domina os guarda-roupas dos consumidores. Na verdade, um estudo da Piper Jaffray publicado em outubro revelou que os adolescentes estavam a comprar, cada vez mais marcas como a Adidas e a Puma para capturar o «look retro dos anos 90» – e a afastar-se da Nike, que tem enfrentado dificuldades nos EUA.

«Acredito que a tendência do calçado espelha o que aconteceu no athleisure», reconhece Matt Powell, vice-presidente e analista do NPD Group.

Powell observa que as vendas de sapatilhas superam tanto os vestidos e o calçado casual combinados e que «é realmente um visual, um estilo de vida, hoje mais do que nunca».

No trilho do investimento

Esse interesse do consumidor despoletou uma vaga de investimento por parte dos retalhistas, incluindo as novas linhas de sapatilhas de luxo da Lululemon, Adidas e Under Armour e um grande investimento do conglomerado de luxo francês LVMH na startup de artigos desportivos Stadium Goods.

Ainda que a Nike tenha apostado alto nos modelos femininos, os homens continuam a dominar nas compras de calçado desportivo, lado a lado com as gerações mais jovens de consumidores, com interesse crescente por produtos originais e personalizados. «As sapatilhas são hoje um símbolo de status», afirma a diretora de retalho do Euromonitor International.

Nos últimos anos, muitas têm sido as marcas a lançar coleções de edições limitadas com famosos, o que, por sua vez, se tornou um grande impulsionador da procura.

A Under Armour tem Steph Curry, a Puma tem Rihanna e a Adidas tem Pharrell Williams e Kanye West, entre outros. Quase todas as marcas têm uma parceria de longo prazo com rostos conhecidos, para não mencionar as colaborações de edição limitada, lançadas para impulsionar o interesse do consumidor e, consequentemente, as vendas.

Paralelamente, marcas de luxo como a Louis Vuitton, Balenciaga, Vetements e Gucci têm colocado no mercado modelos de sapatilhas completamente virais – replicadas pelos retalhistas de moda rápida.

Copyright © 2019 Portugal Têxtil. Todos os direitos reservados.

Moda - CalçadosIndústria
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER