Acne Studios muda de acionistas minoritários

Numa altura em que a Acne Studios acaba de inaugurar uma primeira loja em Pequim, a marca sueca co-fundada por Jonny Johansson em 1996 muda a estrutura do seu capital. Após uma operação liderada pela Goldman Sachs International como consultora financeira, a marca separou-se de três dos seus acionistas, os fundos Öresund, Creades e Pan Capital. Duas substituições fizeram a sua entrada na empresa: o fundo de investimentos americano IDG Capital e o grupo de vestuário de Hong Kong I.T Group. Entre si, possuem agora 41% da empresa (30,1% para o primeiro, 10,9% para o segundo). Mikael Schiller e Jonny Johansson, respetivamente presidente e diretor criativo da empresa, continuam a ser acionistas maioritários.
 
Campanha outono-inverno 2018/19 da Acne Studios, com Cindy Crawford - Acne Studios

Até agora, a Öresund dispunha de 8,5% de participação na Acne Studios e vendeu as suas ações por 369 milhões de coroas suecas, ou 36 milhões de euros. A Creades tinha 8,6% e vendeu a sua parte por 372 milhões de coroas suecas (36,4 milhões de euros). Embora os detalhes da operação relativos à Pan Capitals não tenham sido divulgados, a Acne Studios disse num comunicado que Mikael Schiller e Jonny Johansson também reduziram o tamanho da sua participação no capital.
 
O I.T Group, que trabalha há quinze anos com a Acne Studios, nomeadamente na introdução da marca na Ásia, dispõe de uma importante rede de distribuição (800 lojas em todo o mundo, das quais 700 entre a China e Hong Kong), marcas próprias, estabeleceu joint-ventures com marcas como Zadig & Voltaire em Hong Kong e Macau, as Galeries Lafayette na China, e tem participações em várias marcas (A Bathing Ape, AAPE, Fingercroxx e Venilla suite).

Por seu lado, o grupo IDG Capital, fundado em 1992, especializa-se principalmente em investimentos em tecnologia, médias ou telecomunicações e conta com insígnias como Farfetch, Moncler e Baidu no seu portefólio.
 
"Este é um cenário de sonho para nós. Jonny e eu estamos entusiasmados por unirmos forças com novos parceiros que conhecemos bem e que trarão conhecimentos suplementares para continuarmos a nossa aventura. (...) Trabalhando juntos, vamos tornar a Acne Studios ainda mais eficiente", declarou Mikael Schiller.

A marca, que conta passar para uma nova fase de desenvolvimento com a ajuda dos seus dois acionistas, reivindica um volume de negócios de 200 milhões de euros, trinta lojas em todo o mundo e vinte corners em grandes armazéns. Em 2018, deu as boas-vindas a Edouard Schneider, novo diretor de comunicação, também responsável pela divisão francesa da marca. A Acne Studios apresentará o seu próximo desfile feminino no dia 20 de janeiro durante a semana de alta costura parisiense.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - Pronto-a-vestirNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER