Ações da Avon sobem enquanto Natura & Co se aproxima de acordo

As ações da Avon subiram quase 12% na quarta-feira (22), uma vez que a empresa brasileira de beleza Natura & Co está cada vez mais perto de adquirir a empresa americana através de um acordo de compra de ações para unir duas das marcas de maquilhagem mais populares do Brasil.  


Avon

As empresas disseram estar um estágio avançado de negociações relativas a um acordo no qual a Natura se tornaria acionista maioritária do grupo americano de 133 anos, que tem uma capitalização de mercado de cerca de 1,4 mil milhões de dólares e é conhecido pelo seu modelo de vendas diretas.

As ações da Avon subiram 11,9% no pregão da manhã em Nova Iorque na quarta-feira. acumulando alta de 137% este ano. As ações da Natura reverteram as perdas antecipadas e subiram 5%, acumulando alta de 32% este ano.

A Natura & Co adquiriu a marca britânica The Body Shop da L'Oreal há dois anos, por cerca de mil milhões de dólares e tem vindo a trabalhar para recuperar a marca, que enfrenta dificuldades com o aumento da concorrência.

A Natura também pode enfrentar desafios com a Avon, que é forte no Brasil e noutras partes da América Latina, mas que tem enfrentado dificuldades nos mercados desenvolvidos. A Avon North America, que controla as operações da empresa nos Estados Unidos e é privada, foi vendida no mês passado pela firma de investimentos Cerberus Capital Management à LG Household & Health Care por 125 milhões de dólares.

A Natura está a "perseguir o objetivo de se tornar uma marca global", disseram analistas da Brasil Plural. Segundo estes, a Natura precisaria investir na marca Avon no Brasil, bem como em logística, mesmo que continue a trabalhar para reavivar a marca The Body Shop.

A Natura, que começou as suas atividades com um modelo de marketing direto semelhante ao da Avon, mas que desde então desenvolveu uma rede de lojas de retalho, ainda tem 1,1 milhão de “consultoras” que vendem os seus produtos no Brasil e 600 mil noutros países da América Latina. A Avon tem 1 milhão de consultoras no Brasil, mas muitas vendem ambas as marcas, com a Natura a cultivar uma imagem mais sofisticada.

ESTRUTURA DO ACORDO

A Reuters informou na semana passada que a Natura estaria perto de concluir o acordo para comprar a Avon. Considerando as suas capitalizações de mercado, a Avon teria cerca de 80% da entidade combinada. Mas, de acordo com informações publicadas pela Financial Times na quarta-feira, o acordo valorizaria a Avon em mais de 2 mil milhões de dólares, e a Natura teria 76% do grupo combinado.

Segundo analistas do BTG Pactual, liderados por Luiz Guanais, considerando esta avaliação, a entidade combinada teria lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) de 3,35 mil milhões de dólares.

A Natura garantiu linhas de crédito principalmente de bancos locais, embora o acordo não envolva pagamentos em dinheiro. O acordo de compra de ações da Avon permitirá que a Natura evite uma maior alavancagem depois de financiar o negócio da The Body Shop com dívidas.

O financiamento pode ser usado para refinanciar a dívida da Avon, disse uma fonte com conhecimento sobre o assunto. A nova empresa teria dívida equivalente a 3,7 vezes o EBITDA anual, que é consideravelmente alto. "O acordo com a Avon acrescentaria complexidade ao modelo de negócios da Natura", disseram analistas da BTG.

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2019 Todos os direitos reservados.

CosméticaNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER