×
700
Fashion Jobs
TIFFOSI
Area Manager (m/f)
Efetivo · Braga
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Specialist Direct-tO-Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Buyer - Spanish Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sap Apo (Snp/Ibp) Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Fico Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Non-Trade Procurement Business Analysis (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sap Fico Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
JD SPORT
Footwear Buyer
Efetivo · Alicante
JD SPORT
Apparel Buyer
Efetivo · Alicante
SACOOR BROTHERS
Fiel de Armazém (Storekeeper) - c. Comercial Colombo (m, f)
Efetivo · Lisboa
MINGA LONDON
Digital Marketeer
Efetivo · GUIMARÃES
SACOOR BROTHERS
Sales Assistant - c. Comercial Norteshopping (m, f)
Efetivo · Porto
ADIDAS
HR Specialist - People Services - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
JD SPORT
Demand Planner (m/f)
Efetivo · Maia
ADIDAS
Manager Gbs Delivery Excellence - Resource Planning (M/F/D) -Porto/Herzo
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Specialist Reporting & Analytics (M/F/D) - Direct to Consumer Ecommerce
Efetivo · Porto
ADIDAS
Manager Gbs Delivery Excellence - Resource Planning (M/F/D) -Porto/Herzo 1
Efetivo · Porto
ADIDAS
HR Specialist Gbs Operations - Mobility (M/F/D)
Efetivo · Porto
Por
AFP
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
7 de set. de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Alemanha: C&A e Hugo Boss acusadas de "lucrar" com trabalho forçado de uigures na China

Por
AFP
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
7 de set. de 2021

Ativistas dos direitos humanos anunciaram na segunda-feira a entrega de uma queixa na Alemanha contra várias empresas, incluindo a Lidl e a Hugo Boss, , acusadas de "lucrar" com o trabalho forçado de membros da minoria muçulmana uigur na China.


Boss - primavera-verão 2021 - Milão - © PixelFormula


O Centro Europeu para os Direitos Constitucionais e Humanos (ECCHR), uma ONG com sede em Berlim, indicou ter "apresentado uma queixa contra várias empresas alemãs" por "alegada cumplicidade em crimes contra a humanidade".
 
São visadas as cadeias de vestuário Hugo Boss e C&A, e as redes de lojas Lidl, Aldi Nord e Aldi Sud. A associação acusa estas empresas de "se aproveitarem e serem cúmplices, direta ou indiretamente, do trabalho forçado da minoria uigur em Xinjiang" (oeste).

Pequim é acusada pelos países ocidentais de prender em massa, em grandes campos de trabalho forçado, no oeste da China, membros dessa comunidade predominantemente muçulmana e de língua turca.
 
As empresas visadas pela denúncia têm fábricas de aprovisionamento na região, que "declararam pública e voluntariamente", comenta Miriam Saage-Maass, diretora do ECCHR.
 
Embora a ONG afirme que é difícil obter provas tangíveis do recurso a trabalho forçado, “a questão é se manter relações comerciais não é uma forma de ajudar e encorajar esses crimes”, afirma. A ativista acrescenta: "Acreditamos que estes cinco casos são apenas um exemplo de um problema muito maior e mais sistemático."
 
Uma queixa semelhante foi também apresentada na França em abril pela associação anti-corrupção Sherpa contra quatro multinacionais de vestuário, incluindo a Uniqlo e a Zara.

Daí a abertura, no final de junho, de uma investigação pelo polo "Crimes contra a humanidade" da procuradoria anti-terrorista de França (Pnat).
 
Os Estados Unidos afirmam que Pequim está a cometer genocídio contra os uigures e outros povos turcos em Xinjiang, onde os especialistas estimam que mais de um milhão de pessoas estão detidas.
 
Pequim nega o termo genocídio e descreve os campos como centros de formação profissional, uma alegação rejeitada pelos uigures, que se dizem forçados a abandonar as suas tradições religiosas.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.