×
Publicado em
2 de set. de 2021
Tempo de leitura
7 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Alexandra Moura: “Cada ideia, cada criação, cada cliente, cada desfile, cada desafio ... são experiências únicas!”

Publicado em
2 de set. de 2021

Alexandra Moura vai participar no calendário oficial de desfiles da Milano Fashion Week, apresentando a sua nova coleção para a primavera-verão 2022, no dia 27 de setembro. A meados de outubro, ainda sem data marcada, será a vez de estrear a coleção em território português, no Portugal Fashion, no Porto.


Alexandra Moura no final do show de apresentação da coleção para a estação de primavera-verão 2021 - Cortesia de Alexandra Moura


Em entrevista exclusiva ao site FashionNetwork.com, a designer de moda lisboeta revela em primeira mão algumas novidades do seu mais recente trabalho e o que mudou (ou não) com a crise sanitária.

Alexandra Moura deu os primeiros passos para a internacionalização, em 2015, na London Fashion Week. Assim sendo, as suas coleções começam a ter uma presença assídua no London Fashion Week Official Showroom, designadamente como marca selecionada pelo British Fashion Council, e em showrooms durante a Paris Fashion Week.

Contudo, é no ano de 2002 que começa a apresentar sazonalmente as suas coleções feminina e masculina em diferentes eventos e semanas de moda internacionais,  incluindo o Baltic-Sea Hi Fashion Show e Ideal Showroom em Berlim (ambos na Alemanha), Biennale Internationale Design Saint-Étienne e Tranoï Paris (ambas em França), Belgrade Fashion Week (Sérvia), Bread & Butter em Barcelona (Espanha) e White Milano (Itália).


Look para a cantora portuguesa Rita Vian recentemente divulgado nas redes sociais - Facebook


Após a pandemia de COVID-19, dá ainda mais importância à presença nos canais digitais, comercializando hoje para cinco países (Portugal, Japão, Estados Unidos, Kuwait e Espanha), e trabalhando sempre para alargar o leque.

Como a própria diz: "Os projetos são vários e os objetivos também", reforçando a ideia de "continuar o caminho e ir pondo mais pioneses, de mais países conquistados, no mapa".

Na ordem do dia, preocupa-se com as matérias-primas e suas origens em termos de sustentabilidade, e com o fator humano. O online é também uma aposta cada vez mais presente e consciente.


Look da coleção feminina para a estação de primavera-verão 2021 - Cortesia de Alexandra Moura


Com uma mente muito criativa, e uma abordagem inteligente ao design, cada peça de Alexandra Moura é considerada uma expressão artística única, projetada para proporcionar uma sensação de força, independência e individualidade a quem veste.

Ao longo do percurso, muitos projetos se contam nas mais diversas vertentes criativas, incluindo parcerias com marcas como a Sumol, Duffy Sport ou a Sanjo.

Em 2015, é distinguida com o Prémio Mulheres Criadoras de Cultura, uma honra atribuída pela Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género e pelos gabinetes do Secretário de Estado da Cultura e da Secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade. Em 2018 vence o Globo de Ouro na categoria de Melhor Estilista em Portugal e em 2019 foi convidada pela Camera Nazionale della Moda Italiana para integrar o calendário oficial da Milano Fashion Week.


Imagem da coleção feminina para a primavera-verão 2022, a apresentar na Milano Fashion Week no dia 27 de setembro - Cortesia de Alexandra Moura


FashionNetwork.com: A moda é um bichinho que vem de longe?
Alexandra Moura: O meu começo na moda foi tardio. Desde criança que sou uma apaixonada por animais, céu e estrelas. Estudei Ciências com os dois intuitos de seguir Biologia Animal Marinha e de viajar algures pelo oceano, a estudar cetáceos, ou a dedicar-me ao estudo da Astronomia e imaginar-me num qualquer deserto inóspito, eu e um telescópico, a estudar o que mais amo...o Universo. Este desejo de encontrar vida, levou-me a materializar o que me ia na cabeça, sendo que o gosto pela estética e pela arte ajudou em muito na sensibilidade.
 
FNW: Como se conectou com este universo?
AM: No meio de uma viagem a Londres, nos anos 90, e através de pensamentos e pesquisas em livros (na altura não havia internet), encontro duas cabeças que mexeram com a minha: Yohji Yamamoto e Rei Kawakubo. Tudo começou a fazer sentido e, afinal, eu não era assim tão "bicho do mato"! Das Ciências atirei-me de cabeça para o mundo das artes e tirei o curso de Design de Moda, área onde permaneço até hoje.
 
FNW: Quais os projetos mais marcantes ao longo do percurso?
AM: Não é fácil eleger um em especial, todos tiveram no seu momento, uma mensagem e missão a cumprir. Tem sido uma carreira cheia de momentos e projetos importantes. Mas, posso talvez assinalar dois que resultaram numa maior exposição internacional: o primeiro, quando durante três estações apresentamos as coleções em Londres, na London Fashion Week; e o segundo (talvez mais importante), a integração no calendário oficial da Milano Fashion Week.


Look para Mizzy Miles, DJ e produtor criado entre Lisboa e Rio de Janeiro - Foto: Tory Framez / Facebook


FNW: As artes plásticas, a música, a dança, o canto estão muito ligados às suas criações, através de eventos e artistas de várias áreas. De que forma as coleções sazonais bebem dessas influências?
AM:
 O mundo influência a moda bem como a moda influencia o mundo, não existe uma sequência exata, simplesmente acontece.
 
FNW: Experiências únicas que nos queira revelar?
AM: Cada ideia, cada criação, cada cliente, cada desfile, cada desafio no atelier, cada modelação, cada peça executada, etc., são experiências únicas. Seria muito complicado tentar focar-me em alguma.
 
FNW: A Alexandra Moura é a única designer portuguesa a integrar as publicações Young European Fashion Designers (2007), Atlas of Fashion Designers (2009), Mapa da Moda Contemporânea (2011) e Fashion Design Sourcebook (2011). Como tudo aconteceu?
AM: Aconteceu sempre após um contacto por parte dos autores, comunicando-me que após uma pesquisa e uma seleção tinha sido uma designer escolhida para o livro.  
 

Look para a cantora portuguesa Carolina Deslandes - Facebook


FNW: Onde se podem adquirir as suas peças?
AM: Na nossa loja online e nos nossos stockists nacionais e internacionais.
 
FNW: Quais as mudanças que sofreu com a pandemia de COVID-19?
AM: Damos ainda mais importância à presença nos canais digitais.
 
FNW:  Aposta hoje mais no online?
AM: Sim é uma aposta que já tem algum tempo, mas tem vindo a ganhar cada vez mais força.  
 
FNW: Desde 2003 que leciona na Escola Superior de Artes, em Castelo Branco, disciplinas integradas na licenciatura e no mestrado de Design de Moda e Têxtil. Como descreve a experiência?
AM: É como a experiência de plantar uma semente. É dar e receber, é dar o meu conhecimento e know-how, transmitir metodologias de trabalho e de processos criativos; é dar a visão do que é o mercado e, no fundo, é dar os nutrientes necessários. Depois é ter a alegria de ver a semente germinar, o fruto a nascer, ganhando assim o seu espaço no mundo.
 
FNW: O convívio com jovens discentes na investigação e desenvolvimento das suas ideias e propostas inspira o seu trabalho como designer?
AM: Não influencia diretamente o meu trabalho, mas admiro a força, a troca de visões e ideias, a partilha, etc., é sempre um desafio e um momento estimulantes para as nossas cabeças criativas.
 

Look da coleção para a estação de outono-inverno 2021 - Cortesia de Alexandra Moura


FNW: O projeto do Bordado de Castelo Branco surgiu de um convite por parte da Câmara Municipal de Castelo Branco (CMCB) para que criasse uma peça. Os bordados tradicionais de Castelo Branco são também uma inspiração?
AM: Muitas das tradições portuguesas são motes de inspiração para o meu trabalho. Esta peça está no espólio da CMCB e em exposição no Centro de Interpretação do Bordado de Castelo Branco. Este bordado foi realmente uma verdadeira inspiração para que eu aliasse uma peça com todo o ADN Alexandra Moura e o combinasse com algo tão tradicional e português.
 
FNW: Preocupa-se com questões éticas e de sustentabilidade? De que forma?
AM: São sempre preocupações que existem na marca desde o seu início. Quer a preocupação com as matérias-primas e suas origens, até ao fator humano. As nossas peças são feitas em Portugal, com uma escala pequena de produção e com atenção a quem e onde as vamos produzir. Pequenas empresas e atelier produzem de forma responsável e justa o que a marca faz.
 
FNW: Quais as honras e distinções que mais a comoveram?
AM: A distinção com o Prémio Mulheres Criadoras de Cultura, distinção atribuída pela Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género e pelos gabinetes do Secretário de Estado da Cultura e da Secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade. Esta distinção teve como base os critérios: relevância e coerência da obra, inovação e caráter pioneiro da atividade artística e impacto social e cultural da obra produzida.

Alexandra Moura spring-summer 2021 | Milan Fashion Week

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.