Alta Costura: o regresso da grande rivalidade entre Chanel e Schiaparelli

No filme de Robert Altman sobre a moda, "Prêt-à-Porter", a alta costura parisiense é descrita como "um tédio emocionante”. Não é de admirar que o filme tenha sido um fracasso - apesar das aparições de Julia Roberts, Marcello Mastroianni e Sophia Loren - foi avaliado com um insignificante 5,1 no IMDb (Internet Movie Database).


Ver o desfile
Schiaparelli - primavera-verão 2019 - Alta Costura - Paris

Não há maior expressão de grande estilo ou um laboratório mais brilhante de moda verdadeiramente inovadora que a temporada de alta costura, cujas coleções serão apresentadas em Paris a partir de 30 de junho, com várias estreias notáveis e originalidade estilística.

Com destaque para a Chanel e a Schiaparelli, cujas fundadoras Coco e Elsa foram rivais lendárias no seu auge. Na Chanel, Virginie Viard, que foi o braço direito de Karl Lagerfeld durante muitos anos, fará a sua estreia na alta costura, assim como Daniel Roseberry, recém-contratado da Schiaparelli.
 
Nos anos 80 e 90, o calendário tinha apenas cinco ou seis desfiles, mas nesta temporada estão previstos 36 desfiles inscritos no calendário oficial da Fédération de la Couture et Haute de la Mode, o órgão que rege a moda francesa. E quase a mesma quantidade fora do calendário.

Esta temporada terá a duração de cinco dias e irá terminar na quinta-feira, 4 de julho, com um dia dedicado à alta joalharia. Uma temporada tão movimentada que pelo menos vinte desfiles não conseguiram entrar no programa oficial.

Tornar-se membro oficial da Alta Costura na Federação é como tornar-se cardeal no Vaticano. A admissão só é possível se se for patrocinado por uma marca já existente e, em seguida, aprovado por unanimidade pelos membros do mais alto escalão.

Esta tem apenas 15 membros, incluindo marcas imortais como Chanel, Christian Dior, Givenchy e Schiaparelli. Há também sete membros honorários, geralmente grandes designers não-franceses, como Giorgio Armani, Versace, Fendi e Elie Saab. E, por fim, há 15 membros convidados, nomes emergentes como a russa Ulyana Sergeenko, os londrinos Ralph & Russo, a holandesa Iris van Herpen e o chinês Guo Pei. Mesmo acrescentando mais uma dúzia de marcas independentes, muitas das quais desfilam nas embaixadas do seu país em Paris, há apenas 50 marcas de alta costura, em comparação com 220 chapéus vermelhos no Colégio dos Cardeais, em Roma.

A temporada começa a sério na segunda-feira, com a estreia mais esperada da temporada, Daniel Roseberry na Schiaparelli. Roseberry passou uma década como responsável pelas coleções masculina e feminina da Thom Browne, em Nova Iorque. A escolha de Daniel, um texano de 33 anos, para ser o diretor criativo da Schiaparelli, a marca mais surrealista da alta costura, foi certamente muito corajosa. O estilista americano tem publicado fotos suas junto de um feroz tigre de pelúcia, diretamente da sede da Schiaparelli na Place Vendôme, em Paris.


Ver o desfile
Chanel - Coleção Cruise 2020 - Moda Feminina - Paris

A maior rival de Elsa Schiaparelli, Coco Chanel, também terá a sua mais recente sucessora, Virginie Viard, apresentando um desfile no dia seguinte. Três meses após a morte de Karl Lagerfeld, Viard fez a sua estreia nas passarelas em maio, com um desfile Cruise realizado no Grand Palais, que impressionou com a usabilidade das peças e surpreendeu um pouco com a sua apresentação discreta.

Considerando a intensa competição entre Elsa e Coco, e o facto de Chanel se ter tornado a marca moda mais elegante do mundo, enquanto a Schiaparelli ficou fechada durante meio século após a sua morte, as comparações serão inevitáveis.

Della Valle também estará ocupado com a sua principal máquina de fazer dinheiro, a marca de calçado Tod's, que terá o grande Alber Elbaz de volta ao centro das atenções desde a sua demissão da Lanvin há três anos. Durante um almoço na terça-feira (1), Elbaz irá revelar a sua primeira coleção cápsula para a marca, “Tod's Happy Moment”, e dará seguimento com uma grande festa no mesmo dia à noite.

Outra estreia altamente antecipada é a de Julie de Libran, a popular designer francesa que deixou a Sonia Rykiel este ano e apresentou a sua primeira coleção de prêt-à-porter no seu apartamento, localizado na Rive Gauche. Ironicamente, a temporada terá no sábado à noite outro evento de prêt-à-porter, o da italiana Miu Miu, para a qual Miuccia Prada planeia um desfile, um jantar e uma festa. Imperdível.

Por outro lado, haverá uma exposição na sede do falecido Azzedine Alaia, uma sessão de autógrafos de Olivier Theyskens, um cocktail do extraordinário fabricante belga de carteiras Delvaux, uma apresentação da coleção de Olivier Saillard para Moda Provera - desta vez com uma coleção de camisas de alta costura - um desfile surpresa da Acne Studios, uma demonstração de "novos materiais" do designer japonês Yuima Nakazato, a mais recente colaboração da Birkenstock, chamada "Il Dolce Far Niente”, com Marie-Louise Scio, a gerente de hotel mais elegante da Europa, que acaba de reabrir o famoso hotel Mezzatorre em Ischia, Itália, e uma noite de inauguração cool da Fédération no Centro Georges-Pompidou. E isto é apenas na noite de domingo... Nada aborrecido e certamente emocionante.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - DiversosColeção
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER