Alta-costura: Maria Grazia Chiuri apresenta uma Dior de fadas

Um baile de máscara, um labirinto: a magia impregna a primeira coleção de alta-costura para a Dior de Maria Grazia Chiuri, que desfilou segunda-feira uma série de deslumbrantes vestidos longos de contos de fada.

Dior Couture - Primavera-Verão 2017 - Christian Dior

As primeiras silhuetas, negras e monásticas, são acompanhadas de máscaras leves em forma de andorinha, de borboleta ou de aranha. Por vezes, capuzes, para acrescentar um mistério. O tailleur Bar e seu tamanho bem acentuado, emblemático do 'New Look' de Christian Dior, é revisitado, com longas saias tubinho.
 
As manequins ziguezagueiam em um labirinto vegetal, onde flui um aroma de grama recém-cortada, não longe de uma árvore mágica de onde se podem ver penduradas cartas de tarô, uma piscadela à superstição lendária do fundador da casa de moda. A decoração, espetacular com seus jogos de espelhos, é instalada no jardim do museu Rodin, onde a Maison organiza um baile de máscara à noite.

Dior Couture - Primavera-Verão 2017 - Christian Dior

Nesta coleção primavera-verão bem "noite", os sinais astrológicos são bordados em vestidos caicai. As flores tão caras a Christian Dior são fixadas em um vestido de tule e em uma capa, lembrando um herbário.
 
Um vestido de festa de cor crua com franjas, sobre o qual foram bordadas flores de ráfia, compreendeu 1.900 horas de trabalho. Um vestido de 1949 com saia de pétalas bordadas com lantejoulas é reinterpretado para 2017 com tule plissado, em nuances de rosa pastel.

Dior Couture - Primavera-Verão 2017 - Christian Dior

Para acompanhar os vestidos de baile neste sonho de uma noite de verão, o criador britânico Stephen Jones imaginou penteados de plumas, coroas de flores e com ramos.
 
Nos pés, calçados de saltos baixos para deixar mais à vontade: "A alta-costura deve ser mágica, mas também usável. E confortável: se você for a um baile, você vai querer dançar", explica Maria Grazia Chiuri, nomeada em julho na Dior para suceder a Raf Simons.
 
Igualdade de direitos
A antiga diretora artística da Valentino, onde ela trabalhava fazendo dupla com Pierpaolo Piccioli, dedicou esta coleção de alta-costura a Franca Sozzani, redatora chefe da Vogue Itália e figura do mundo da moda falecida em dezembro.

Dior Couture - Primavera-Verão 2017 - Christian Dior

Primeira mulher a ocupar este posto na Dior, a Italiana multiplicou as referências aos códigos da casa de moda, que celebra este ano seus 70 anos de existência. Trazendo ao mesmo tempo o seu toque pessoal, seu gosto por uma feminilidade refinada, pela história e pelos símbolos.
 
A criadora estreou na Dior em setembro com uma coleção de pronto-a-vestir combativa, inspirada no universo da esgrima e em torno do slogan "We should all be feminists", estampado em camisetas. Uma palavra de ordem que retoma o título de um romance do autor nigeriano Chimamanda Ngozi Adichie.

Dior Couture - Primavera-Verão 2017 - Christian Dior

"Estou contente de ver que homens e mulheres pensam ser importante falar da igualdade de direitos, porque provavelmente tínhamos um pensamento errado de que se tratava de algo adquirido", avalia a criadora, mãe de uma menina e de um menino. "Quando eu era jovem, pensava que, pouco a pouco, todo mundo compreenderia que isso é normal. Mas um dia você acorda e percebe que não é o caso, que há um problema, que é mundial", explica.

Traduzido por Anderson Alexandre Da Silva

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.

Luxo - Pronto-a-vestirLuxo - AcessóriosLuxo - CalçadosDesfiles
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER