×
Por
Reuters API
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
21 de jan. de 2022
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Amazon abrirá loja de moda onde algoritmos sugerem o que experimentar

Por
Reuters API
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
21 de jan. de 2022

Este ano, a gigante do comércio eletrónico abrirá a primeira loja física de roupa perto de Los Angeles, com uma reviravolta tecnológica chamada "Amazon Style", que permite aos clientes digitalizarem os modelos. A receita da Amazon.com Inc. para a loja de departamentos do futuro inclui assim recomendações algorítmicas e o que um diretor corporativo chama de "armário mágico" no provador.


Amazon Style - Reuters


A empresa americana especializada em retalho online está a fazer um novo esforço para expandir os seus negócios de moda. A Amazon anunciou, na quinta-feira (20 de janeiro), que abrirá este ano a sua primeira loja física de vestuário, com um toque tecnológico. "Não faríamos nada no retalho físico a menos que sentíssemos que poderíamos melhorar significativamente a experiência do cliente", declarou a CEO da empresa, Simoina Vasen.

Com 2.787 metros quadrados, a loja "Amazon Style" será instalada perto de Los Angeles e será mais pequena do que uma loja de departamentos tradicional. Os modelos serão expostos nas prateleiras e os clientes poderão digitalizar um código com o aplicação móvel da Amazon para selecionar a cor e o tamanho que desejam. Para experimentar as roupas, guardadas na parte de trás, os compradores entram numa fila virtual para um provador que será desbloqueado pelo smartphone quando estiver livre.

No interior, o provador funcionará como "um espaço pessoal para continuar a fazer compras sem ter de sair", diz Vasen. Cada um deles terá uma tela sensível ao toque que permitirá que os compradores encomendem mais itens, que a equipa da loja irá entregar num armário seguro de dois lados "em questão de minutos", afirma. "É como um armário mágico com uma seleção aparentemente infinita".

As telas sensíveis ao toque também irão sugerir itens para os compradores. A Amazon manterá um registo de cada item que um cliente digitalizar para que os seus algoritmos possam personalizar as recomendações de roupas. Os compradores também poderão preencher uma pesquisa de estilo. Ao chegar ao provador, os funcionários já depositam os itens solicitados pelos clientes e outros que a Amazon escolheu. Os compradores poderão optar por fazê-lo com a ajuda de um concierge.

De acordo com um estudo de analistas, a Amazon já ultrapassou o Walmart Inc. como a retalhista de roupas mais comprada nos Estados Unidos. Mas ainda tem espaço para expandir e competir com empresas como a Macy's Inc e Nordstrom Inc, que abriram lojas de formato mais reduzido. A linha de mercearia e lojas de conveniência físicas da Amazon ainda não colocou o retalho físico em cheque.

"A nova loja da empresa visa apelar a uma vasta gama de compradores com centenas de marcas", diz Vasen, recusando-se a citar exemplos.

"Terá também centenas de empregados e não tem uma caixa sem contacto, como algumas lojas da Amazon", acrescenta Vasen. No entanto, utilizando um sistema biométrico conhecido como Amazon One, os clientes podem pagar com um toque da palma da mão.
 

© Thomson Reuters 2022 All rights reserved.