Amazon destrona Google e Apple e torna-se a marca mais valiosa do mundo

Pelo 14.º ano consecutivo, WPP e Kantar revelaram o ranking “Top 100 Most Valuable Global Brands Brand 2019", que destaca as 100 marcas mais valiosas do mundo. A Amazon foi a primeira colocada desta edição. A empresa americana registou um crescimento de 52%, para 315,5 mil milhões de dólares e tornou-se a marca mais poderosa do mundo. A Google, que esteve na liderança no ano passado, caiu para o terceiro lugar, avaliada em 309 mil milhões de dólares, enquanto a Apple permanece em segundo lugar, com 309,5 mil milhões de dólares. A Nike foi a marca de roupa melhor colocada, na 21.ª posição, avaliada em 47,3 mil milhões de euros.


Archiv

Completaram o "top 10” a Microsoft, Visa, Facebook, Alibaba (que subiu uma posição e tornou-se a marca chinesa mais valiosa do mundo), Tencent, McDonald's e AT&T. O relatório mostra que as empresas de tecnologia dominam este ranking desde a sua criação, em 2006.  A empresa que registou maior crescimento foi o Instagram, e em 2019 quase duplicou o seu valor (com crescimento de 95% em relação ao ano anterior), ficando no 44.º lugar, avaliada em 28,2 mil milhões de dólares.

O luxo foi a categoria que mais cresceu, com 29%, graças aos consumidores da gerações Y e Z e aos canais digitais, seguido pelo retalho, com +25%. Entre as marcas de luxo mais bem colocadas estão Louis Vuitton, em 24.º lugar, com 47,2 mil milhões de dólares; Chanel, pela primeira vez no ranking, em 31.º, com 37 mil milhões de dólares; Hermès, em 37.º, com 30,9 mil milhões de dólares, e Gucci, no 52.º lugar, com 25,7 mil milhões de dólares. Entre as marcas dedicadas ao vestuário, a Zara ficou em 61.º lugar, com 22,5 milhões de euros e a Adidas com a posição número 100, com 13,3 mil milhões de euros.
 
De modo mais geral, o valor acumulado do Top 100, aumentou para 4,7 biliões de dólares, um crescimento de 7%. Menos sustentado que no ano passado (+ 21%), de acordo com os autores do ranking, devido à volatilidade e à maturidade dos consumidores, mas também às tensões comerciais entre a China e os Estados Unidos.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2019 Europa Press. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos aqui apresentados sem o prévio e expresso consentimento.

Moda - DiversosIndústria
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER