×
305
Fashion Jobs
GIANNI KAVANAGH
PR / Influencers Management
Efetivo · BRAGA
ADIDAS
Specialist Gbs HR Services Bik - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Comprador de Vestuário (m/f)
Efetivo · Porto
CONFIDENCIAL
Country Manager Iberica Textile
Efetivo · PORTO
SALSA
Ecommerce Product Manager – Desenvolvimento do Negócio Digital da Marca
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
SPORT ZONE
Marketplace Business Developer (m/f)
Efetivo · Maia
FOREO
Business Development Specialist
Efetivo · Lisbon
SALSA
Ecommerce Product Specialist – Oportunidade de Especialização em Ecommerce
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Buyer (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Fico Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sales Associate Part-Time - Centro Comercial The Style Outlets - Vila do Conde
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Gestor de Produto (m/f)
Efetivo · Porto
ADIDAS
HR Specialist Gbs Operations - General Admin - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Director Gbs Accounting & Tax Europe (m/f)
Efetivo · Porto
COURIR PORTUGAL
Sales Assistant - Lisboa - CDI - Part-Time - 30h - m/h
Efetivo · LISBOA
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja (Part-Time) - Madeira Shopping - a Tua Melhor Versão
Efetivo · Funchal
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja (Part-Time) - Funchal Rua - a Tua Melhor Versão
Efetivo · Funchal
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja (Part-Time) - Alma Shopping - a Tua Melhor Versão
Efetivo · Coimbra
CLAUDIE PIERLOT PORTUGAL
Vendedor(a) - CDD 15h - 6 Meces - Porto Norte H/F
Temporario · SENHORA DA HORA
TOMMY HILFIGER (RETAIL)
Vendedor/a - 30h - Chiado
Temporario · LISBOA
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
4 de mai. de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Amazon responde à lista negra de sites da administração Trump

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
4 de mai. de 2020

A Amazon respondeu à decisão da Administração Trump de acrescentar cinco dos domínios internacionais da Amazon, incluindo sites na Alemanha, Canadá, França, Índia e Reino Unido, a um registo de "mercados notórios", alegando que a ação tinha motivações políticas.

Segundo a Amazon, a jogada foi influenciada pela "vingança pessoal da administração contra a Amazon". O gigante do comércio electrónico alegou ainda que a inclusão dos sites da Amazon ignora os esforços da empresa para impedir as vendas não leais.


Amazon investe mais de 500 milhões de dólares econta commais de 8.000 empregados a proteger a loja de fraudes e abusos - The Amazon blog


"Discordamos fortemente da caracterização da Amazon neste relatório da USTR", disse um porta-voz da Amazon à FashionNetwork.com. "A Amazon faz investimentos significativos em tecnologias e processos proactivos para detectar e impedir a venda de maus atores e produtos potencialmente falsificados nas nossas lojas".

"Só em 2019, investimos mais de 500 milhões de dólares e temos mais de 8.000 empregados a proteger a nossa loja de fraudes e abusos. Também impedimos mais de 2,5 milhões de suspeitos de maus agentes de abrirem contas de venda na Amazon, antes de publicarem uma única listagem para venda, bloqueando mais de 6 mil milhões de suspeitos de maus agentes antes de serem publicados nas nossas lojas".

"Mais de 99,9% das páginas vistas pelos clientes na Amazon nunca tiveram uma denúncia de contrafação, e isto é uma prova da nossa contínua inovação, colaboração e empenho no combate à contrafação", continua. "Trabalhamos também em estreita colaboração com as agências de aplicação da lei e estamos a reportar todos os falsificadores confirmados para os ajudar a construir casos criminais mais fortes. Somos uma parte interessada ativa e empenhada na luta contra a contrafação e exortamos os legisladores a aumentarem o financiamento e os recursos dos serviços responsáveis pela aplicação da lei para que possamos responsabilizar os verdadeiros criminosos - as atuais ramificações da contrafação são demasiado fracas".

A inclusão dos sites da Amazon no relatório marca a primeira vez que as operações de uma empresa norte-americana no estrangeiro foram incluídas. Embora a lista não tenha ramificações legais, o facto de ser incluída na lista lança uma luz negativa sobre estas empresas. 

O gabinete do representante comercial dos EUA alegou que as instalações facilitavam a venda de produtos contrafeitos e outras violações da propriedade intelectual. O escritório afirmou ainda que a adição dos sites da Amazon foi o resultado de queixas de empresas norte-americanas, que alegaram que lhes tinham sido vendidas mercadorias falsas, que os sites não forneciam informações claras sobre os vendedores e que o processo de remoção das plataformas de venda de mercadorias falsas era "moroso e oneroso".

O presidente Donald Trump tem sido publicamente hostil ao fundador e CEO da Amazon, Jeff Bezos, que também é proprietário do Washington Post, entre outros. Em momentos diferentes ao longo de vários anos, Trump fez declarações através do Twitter afirmando que Bezos não estava a pagar o suficiente aos funcionários do Washington Post, e que a Amazon não paga impostos suficientes.


Trabalhadores preocupados por aAmazon não os informar dos casos positivos de COVID-19


A ação desfavorável contra a Amazon surge numa altura em que a empresa já está a enfrentar pressões pela sua conduta durante a pandemia de COVID-19. A empresa, que tem estado inundada de encomendas, desde o início do surto, tem vindo a receber múltiplos relatórios que afirmam que os trabalhadores estão preocupados por a Amazon não os estar a informar dos casos positivos de COVID-19 entre os colegas de trabalho.

Além disso, a empresa foi alvo de uma explosão pública por despedir um trabalhador de Nova Iorque, que liderou um protesto sobre a segurança no local de trabalho durante a pandemia - e que, segundo a Amazon, foi despedido por violar uma licença de quarentena remunerada -, bem como por despedir dois trabalhadores técnicos que criticaram abertamente as políticas climáticas da empresa e as condições de segurança nos armazéns.
 

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Tags :
Indústria