Após forte crescimento, Adidas espera "normalização" em 2018

O CEO da Adidas, Kasper Rorsted, disse que a empresa espera que o crescimento das vendas "normalize" este ano, após dois anos de forte expansão, e que continuará a sua mudança de sourcing de calçado da China para o Vietname.


Adidas

"Esperamos uma certa normalização este ano, após um segundo ano consecutivo de uma forte taxa de crescimento de dois dígitos", disse Kasper Rorsted durante a reunião geral anual. O executivo reafirmou a meta de crescimento de cerca de 10% nas vendas em 2018, numa base de moeda neutra, abaixo do aumento de 16% obtido em 2017.

O executivo-chefe também acrescentou que a empresa espera continuar a mudança do seu sourcing de calçado da China para o Vietname, e não mostrou estar preocupado com a possível imposição de tarifas dos Estados Unidos sobre o calçado fabricado na China.

As fábricas do Vietname produziram 44% do volume de calçado da Adidas em 2017, ante 31% em 2012, enquanto os fornecedores chineses representaram 19%, menos de 30% em 2012, disse Kasper Rorsted na reunião anual de acionistas.

"Não vou descartar que esta tendência vai continuar", disse, acrescentando: "A China ainda é um importante mercado de compras, independentemente de deveres comerciais".

Rorsted observou que ainda há muita incerteza sobre quais setores podem ter que enfrentar novas tarifas nos Esta Unidos. "Podemos ser atingidos por impostos de importação, mas isso também se aplica aos nossos concorrentes."

A rival alemã Puma, que fabrica cerca de um terço dos seus produtos na China, disse no mês passado que está a trabalhar em planos de contingência para transferir parte da produção da China para outros mercados asiáticos caso as tarifas americanas sejam impostas.

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2018 Todos os direitos reservados.

DesportoNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER