Athleisure veio para ficar

O mundo do vestuário e calçado de desporto está a mudar e a entrar na vida quotidiana, no trabalho e até no segmento de cerimónia.


Nos últimos anos, o retalho especializado para desporto tem registado alguns sismos de magnitude média, com o desgaste de marcas conhecidas, como a Nike, a saída do CEO da Lululemon e outros factos que estão a mudar a face do sector.

Mas, nos últimos tempos, este segmento está a aquecer. Segundo a Euromonitor International, a categoria cresceu 5% em 2017, sobretudo graças ao chamado athleisure, que mistura o conforto do desporto com o dia-a-dia dos consumidores. As tendências em saúde e bem-estar, assim como a adoção de um vestuário de trabalho mais casual também contribuíram para esta performance.

Apesar disso, o retalho especializado em desporto enfrenta uma pressão crescente de concorrentes online, liderados pela Amazon e o sucesso de muitas grandes marcas faz-se à custa das mais pequenas e de carater regional. De acordo com os dados do Retail Dive, as vendas em lojas físicas caíram no ano passado, uma tendência contrária ao aumento exponencial de receitas online.

Atualmente, há quatro grandes tendências neste segmento.

Para todas as ocasiões

O segmento de desporto tem no athleisure uma das suas maiores estrelas, graças aos consumidores mais jovens. Matt Powell, analista do The NPD Group, explicou ao Retail Dive que «a ideia aqui é que a roupa seja confortável, versátil e que a possa usar em diferentes ocasiões e também se quiser fazer exercício». No mercado dos ténis, esta tendência também se acentuou e são usados agora em ocasiões mais formais, com fatos e roupa menos casual.

Estilo de vida

Tendo em conta a tendência para o athleisure, não admira que as marcas de desporto estejam cada vez mais voltadas para o lifestyle, com estilos de streetwear que são cada vez mais populares. Começam mesmo a aparecer marcas que não se parecem com uma insígnia desportiva, ainda que atuem nessa área, como a Outdoor Voices. As parcerias com celebridades, sobretudo nas redes sociais, também são instrumentais para o sucesso destas marcas.

Com a Amazon

52% dos compradores online de vestuário e calçado de desporto escolhem a Amazon para comprar os artigos. E isto é um desafio para as marcas, que nem sempre conseguem vingar no ambiente competitivo que existe na plataforma criada por Jeff Bezos. A Nike foi a última grande marcas do sector a anunciar que ia vender na Amazon.

Regresso às origens

O mercado do retalho do desporto é um segmento complicado, em que a tendência é que as marcas de maior dimensão continuem a crescer, porque têm mais poder negocial e conseguem descontos competitivos. Isso também quer dizer que muitos retalhistas terão que mudar de estratégia e voltar ao seu negócio nuclear. Além disso, os parceiros das grandes marcas para a distribuição serão cada vez mais escrutinados e escolhidos.

Copyright © 2019 Portugal Têxtil. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirModa - CalçadosDesportoDistribuiçãoColeção
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER