Balenciaga: luxuoso e impulsionado a LED

Raramente um desfile de moda apresentou um cenário tão excecional, um incrível vortex digital criado pelo artista Jon Rafman, que Demna Gvasalia, diretor criativo da Balenciaga, conheceu na Feira Art Basel.

Ver o desfile
Balenciaga - Primavera/Verão 2019 - Womenswear - Paris - © PixelFormula

Um turbilhão visual verdadeiramente incrível, onde um público de 400 pessoas caminhou em direção a um tubo retangular inteiramente feito de 2 mil metros quadrados de ecrãs LED curvos. Antes do desfile, enormes imagens de gotas de chuva em janelas, que, em seguida, deram lugar a pântanos vulcânicos, ondas agitadas, bolas de fogo e celuloide derretida à medida que o desfile começava.
 
Lá fora, um domingo ensolarado no subúrbio de St. Denis, na região norte. No interior, uma plateia à beira da hipotermia, já que o ar-condicionado estava regulado muito, muito para baixo para evitar o sobreaquecimento dos LEDs.
 
Tudo isto não teria significado nada se a coleção tivesse sido prosaica. No entanto, é provavelmente a coleção mais coerente e glamurosa de Gvasalia para a marca.

O seu look de abertura definiu o cenário, um vestido às riscas de corte perfeito, apertado na cintura como uma peça de xadrez e terminado com ombros achatados no ângulo correto. Gvasalia apresentou esta silhueta em couro liso, lã azul clara e veludo técnico cerúleo elétrico. A Balenciaga irá sempre caracterizar-se pelo volume, e Demna jogou com algumas formas notáveis, muitas das quais com o nome da marca em etiquetas pretas e brancas que se erguiam verticalmente num dos ombros.

"Chamo-lhe Neo ou New Tailoring na confeção: ombros rígidos, duros e quadrados. Quase como pequenos sofás onde é possível sentar", disse o designer georgiano sorrindo.

Neste desfile misto, o criador mostrou mais de uma vintena de looks masculinos, usados, tal como a sua moda feminina, por um "casting sauvage" selecionado da Coreia, França, Alemanha e até mesmo da Escócia.
 
Curiosamente, para um homem que escapou de uma terra invadida por comunistas irredentistas, Demna também apresentou vários fatos com corte Mao, embora cortados com uma nova fluidez. Além disso, usou também grandes quantidades de veludo líquido em calças ligeiramente onduladas e camisas. Outras silhuetas lembravam os raglans exagerados dos anos 60, enquanto um novo fato masculino prescindia da camisa, que foi transformada num casaco.


Ver o desfile
Balenciaga - primavera-verão 2019 - Moda Feminina- Paris - © PixelFormula

"Sem ombreiras ou dragonas. Isso tira as obrigações de um fato clássico. Eu quero vestir a nova geração e fazer com que usem novamente alfaiataria. Isto é quase como usar uma roupa de jogging e é mais acessível, e não como Bond Street e Savile Row. Para mim, isso é essencial", argumentou Demna.
 
Uma coleção impressionante e um desfile brilhante, onde Rafman e Gvasalia colaboraram, sonhando "um cenário cinematográfico digital". Não em conjunto, mas falando e partilhando ideias, e permitindo que a moda criasse uma nova visão da arte e do simulacro digital.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirLuxo - Pronto-a-vestirLuxo - DiversosDesfiles
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER