×
377
Fashion Jobs
Publicado em
15 de jan de 2021
Tempo de leitura
4 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Béhen: a marca portuguesa de Joana Duarte venceu o concurso The International Sustainable Fashion Design

Publicado em
15 de jan de 2021

A marca portuguesa Béhen fundada pela designer de moda Joana Duarte, a qual estreou em outubro de 2020 no Lab da ModaLisboa, foi a vencedora do concurso The International Sustainable Fashion Design (The Sustainables), que visa apoiar e encorajar os designers emergentes no seu próprio caminho para uma maior sustentabilidade e responsabilidade.


Pormenor de top e saia criados a partir de panos tecidos e bordados à mão, como manda a tradição feminina - Facebook / Béhen Studio


A Béhen que significa irmandade em hindi, é uma marca de moda inclusiva que contribui para causas sociais e tem a consciência de que pode mudar o mundo com os princípios das suas coleções. Neste contexto, uma percentagem das vendas da coleção para a estação de primavera-verão 2021 reverte para instituições de combate ao casamento infantil.

Estamos a falar de uma coleção apresentada com grande sucesso na última edição da ModaLisboa (Lisboa Fashion Week), de uma marca nacional com pouco mais de um ano de existência. Agora distinguida no concurso The International Sustainable Fashion Design, a Béhen vê a oportunidade de participar no showroom The Sustainables durante a Paris Fashion Week e mostrar o seu valor aos principais compradores e retalhistas da indústria da moda.

Numa nota do desfile da coleção para a estação de primavera-verão 2021, Joana Duarte diz que esta é “uma ode à infância e à dor de crescimento chamada amor, bordada com cristais Swarovski, gota a gota, por mãos de fada como que lágrimas de felicidade”.


Top e saiacriados a partir de uma toalha bordada à mão, captados numa produção fotográfica realizada na Ilha da Madeiracujos bordados são reconhecidos internacionalmente - Facebook / Béhen Studio


Joana Duarte, a mentora da Béhen, que fez um percurso arrojado como profissional do mundo, o que lhe apurou a sensibilidade humana, deixou Santarém para estudar em Lisboa e depois em Londres onde tirou um mestrado na Kingston University.

Na capital multicultural do Reino Unido, decidiu viver na Índia e de regresso lançou a sua marca sustentável feita a partir de tecidos antigos, desde colchas a saris comprados a famílias ou a pequenos produtores espalhados pelo mundo, ou ainda a partir de têxteis novos, desde que tecidos pela magia do tempo das mãos humanas.

O olhar à Índia, às mulheres e às crianças, está registado nas coleções da Béhen e no próprio nome, mas também pesam as vivências ibéricas distantes ou nem tanto em relação aos costumes e privilégios. Os têxteis cuja função se transfere do vestir a casa para o corpo têm também o sabor da saudade dos tempos em que as meninas aprendiam a costurar e a bordar, no seio das famílias, para fazer o enxoval. Gerações e gerações de meninas que serviram apenas para procriar e agradar aos maridos e que chegaram a ser nossas mães e avós, ficando-nos assim na pele o registo (e no peito).


Vestido criado a partir de naperons,tendo também como pano de fundo uma natureza daIlha da Madeira - Facebook / Béhen Studio


As raízes portuguesas de Joana Duarte fortaleceram-se além-fronteiras, contando-nos hoje novas histórias do artesanato no feminino, através das próprias histórias das mulheres que conheceu pelo mundo e das mãos dessas mesmas mulheres nómadas e viajantes (ou não) que criaram a inspiração e antes a matéria-prima. 

É a herança dos bordados dos enxovais das avós, colchas antigas, toalhas de mesa também bordadas à mão ou naperons, que ganha nova vida ditada por uma moda mais sustentável e consciente que a designer de Santarém assina, criando e recriando a partir de tecidos produzidos artesanalmente  o amor e o tempo. 

Não por acaso as primeiras peças foram produzidas em parceria com a Aga Khan Portugal, que apoia e fornece formação profissional em costura e modelismo a mulheres desempregadas de Lisboa e Sintra.

A marca que também apoia a educação de rapazes e raparigas sírios foi lançada recentemente no Instagram, onde todas as peças se encontram à venda e onde se pode ler:"Giving antique textiles a second life while telling the stories of the craftswomen who sew magic into our clothes. We ship worldwide" (Dando aos têxteis antigos uma segunda vida enquanto contamos as histórias das artesãs que cosem magia nas nossas roupas. Nós enviamos para todo o mundo).
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.