×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
21 de abr de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

BFC anuncia planos para plataforma de co-edição e lança próxima edição da London Fashion Week Men's

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
21 de abr de 2020

Quase um mês depois de os concorrentes, em Milão e Paris, terem cancelado as temporadas de moda masculina e de alta costura, previstas para este verão, o British Fashion Council (BFC), anunciou que vai avançar com a temporada de junho, muito embora em formato digital co-ed.

O BFC, órgão máximo da moda no Reino Unido, revelou também que "nos próximos 12 meses", todas as semanas da London Fashion Weeks se transformarão em desfiles de co-edição, encenados numa plataforma neutra do ponto de vista do género. Ora, isto significa que, na London Fashion Week, "os homens vão deixar de existir, pelo menos até ao próximo ano". O BFC chamou-o de um movimento "para permitir uma maior flexibilidade aos estilistas".


Burberry - outono-inverno 2020 - Womenswear - Londres - © PixelFormula

 
O efeito imediato é que a próxima temporada da London Fashion Week Men's, inicialmente prevista para o fim-de-semana de 12 a 14 de junho, será rebatizada como uma "plataforma apenas digital, à luz do ambiente atual", afirmou a organização, num comunicado divulgado terça-feira (21 de abril).
 
No dia 28 de março, tanto a Camera della Moda como a Federation de la Haute Couture et de la Mode, respectivamente os organismos que regem a moda em Itália e em França, anunciaram os adiamentos das próximas temporadas de moda masculina e temporada de alta costura de Paris, deste verão. Enquanto o Conselho dos Designers de Moda da América também anulou a época de verão, uma vez que as três organizações reagiram em conjunto face à pandemia de COVID-19.

No entanto, o BFC adoptou uma abordagem diferente ao avançar com a rebranded platform, www.londonfashionweek.co.uk, concebida tanto para o comércio, como para o público consumidor; com a pretensão de abraçar o resposta cultural, a criatividade e o espírito humorístico de Londres.
 
No entanto, até agora, o BFC não indicou quais os designers ou marcas que irão participar na temporada de junho em Londres. Em vez disso, limitou-se a sublinhar que o objectivo da época seria permitir que as empresas de moda e os criativos britânicos explorassem o zeitgeist cultural de Londres e realçassem a sua posição enquanto cidade multicultural global. "Reunindo a comunidade da moda, a plataforma acolherá conteúdos multimédia exclusivos de estilistas, criativos, artistas e parceiros de marca, permitindo a colaboração e reunindo moda, cultura e tecnologia", acrescentou o BFC.
 
O objectivo a longo prazo do BFC é manter quatro épocas de passerelles em Londres - em janeiro, fevereiro, junho e setembro. Resta saber, no entanto, se a época de setembro terá algum formato de passerelle ao vivo com público presente.


Franco Pellegrino anuncia, no Instagram, que a London Fashion Week será totalmente online - Instagram


"É essencial olhar para o futuro e para a oportunidade de mudar, colaborar e inovar". Muitas das nossas empresas sempre abraçaram a London Fashion Week como uma plataforma não só para a moda, mas também pela sua influência na sociedade, identidade e cultura", comentou Caroline Rush, Chefe Executiva do BFC.
 
"A atual pandemia está a levar-nos a todos a reflectir mais pungentemente sobre a sociedade em que vivemos e como queremos viver as nossas vidas e construir negócios, quando ultrapassarmos esta situação. Esperamos assim que o outro lado da crise, seja sobre sustentabilidade, criatividade e produto que valorizamos, respeitamos e acarinhamos. Ao criarmos uma plataforma para a semana da moda cultural, estamos a adaptar a inovação digital às nossas necessidades atuais e a construir algo que sirva de montra global para o futuro. Os designers poderão partilhar as suas histórias, e para aqueles que as têm, as suas coleções, com uma comunidade global mais alargada; esperamos que, para além das perspectivas pessoais sobre este momento difícil, haja inspiração. É por isso que a moda britânica é conhecida", acrescentou Rush.
 
Entre as facilidades a implementar estarão entrevistas, podcasts, agendas de estilistas, webinars e showrooms digitais, destinados a gerar vendas.
 
O BFC está também a ligar-se a marcas como Amazon Launchpad, Facebook, Google, Instagram, Joor, Ordre/Orb360 e YouTube, para desenvolver conteúdos de formas únicas. Enquanto os seus parceiros de longa data das marcas British GQ, Evening Standard, JD.com, inc, Lavazza, LetsBab, Mercedes-Benz, The May Fair Hotel e Toni&Guy, reafirmaram já o apoio para a temporada de junho.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.