×

Birkenstock apoia criação jovem com Central Saint Martins e dá empurrão à sua marca 1774

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
10 de jul de 2020
Tempo de leitura
6 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

A Birkenstock colhe os primeiros frutos do projecto Birkenstock x CSM, uma iniciativa plurianual nascida para apoiar a educação e as novas gerações de designers. A partir de 2018, a marca alemã de calçado, famosa sobretudo pelas suas sandálias abertas características, convidou os alunos do curso de História e Teoria da Moda na prestigiada Central Saint Martins - University of the Arts London, para acederem aos seus ricos arquivos históricos nos EUA, Itália e Japão e na sede da Birkenstock, na Alemanha, para os pesquisar. O resultado desta investigação resultou num segundo projecto, envolvendo os estudantes do mestrado em Moda, convidados a interpretar os modelos emblemáticos da Birkenstock.


O projecto vencedor de Saskia Lenaerts - Birkenstock X CSM


Um ano mais tarde, um júri presidido por Oliver Reichert, CEO da Birkenstock, e composto em particular por Fabio Piras, diretor do mestrado em Moda da escola inglesa, e Sarah Mower, crítica principal da vogue.com, assim como uma série de designers e jornalistas internacionais, selecionaram uma lista restrita de 10 estudantes finalistas, que desenvolveram uma série de interpretações pessoais dos modelos da marca. Sexta-feira (10 de julho), Birkenstock anunciou que quatro estudantes foram eleitos vencedores finais da iniciativa.

As criações concebidas pelos vencedores foram eleitas para produção em massa e serão vendidas em lojas selecionadas em todo o mundo e no website 1774.com a partir de fevereiro de 2021. Cada modelo tem o nome do aluno em relevo na palmilha Birkenstock. Todos os finalistas receberam uma bolsa de estudo, enquanto que os quatro vencedores terão também um contrato de royalties. O projecto Birkenstock x CSM foi concebido para ser a longo prazo e continuará a incluir coleções de licenciados e modelos inspirados em arquivos nos próximos anos.

Além disso, de sábado (11) a terça-feira (14), será realizado um evento digital no perfil privado do Instagram @BIRKENSTOCKXCSM para revelar o novo projecto exclusivamente para impressão e compradores.

"Trabalhar com a Birkenstock tem sido uma experiência incrivelmente gratificante para todos os nossos estudantes envolvidos neste projecto colaborativo", recorda Fabio Piras, acrescentando como os vencedores "verão agora as suas ideias de design realizadas e divulgadas em toda a rede internacional de retalho da marca. Como diretor do curso, quero que os meus alunos pensem que os próprios designs podem ter potencial comercial. Estou extremamente grato à Birkenstock pelo seu extraordinário empenho em apoiar a educação da moda, através desta gratificante oportunidade".


O projecto vencedor de Alecsander Rothschild - Birkenstock X CSM


Satisfação também expressa na declaração oficial de Oliver Reichert, CEO da Birkenstock desde 2013 (o primeiro membro não familiar a dirigir a marca fundada por Johan Adam Birkenstock em 1774), que recordou como "investir em talentos futuros e dialogar com eles significa trabalhar com espíritos livres. Uma prioridade para as marcas que pensam no futuro, tanto mais para uma marca democrática e inclusiva como a Birkenstock. Os estudantes mostraram uma profunda compreensão dos modelos e apresentaram um resultado final convincente".
 
A coleção será apoiada por uma campanha assinada por Walter Pfeiffer, em Paris. O famoso fotógrafo imortalizará os estudantes com os modelos que conceberam e os visuais selecionados, a partir da sua própria coleção de fim de curso. Além disso, para celebrar a investigação dos arquivos e completar a proposta dos modelos concebidos pelos estudantes, o calçado Birkenstock "Tallahassee" dos anos 90 do século XX, será reproposto numa nova versão caracterizada por cores contrastantes, tornando-se assim o primeiro modelo das reedições do arquivo pretendido pela empresa alemã.

Entretanto, a Birkenstock, outrora conhecida apenas por sapatos com solas anatómicas feitas de cortiça e látex natural, tornou-se agora uma marca de estilo de vida versátil, oferecendo uma gama crescente de sapatos de dedos fechados, de criança e de trabalho, bem como produtos especiais para retalhistas ortopédicos, meias, malas e cintos. Uma carteira de produtos à qual também acrescentou sistemas adormecidos e cosméticos naturais desde 2017. Mas, continua a evoluir com o impulso dado ao rótulo de 1774 (desde a sua fundação). Uma nova coleção unisexo adequada a todas as estações que renova os modelos mais icónicos da Birkenstock, sempre com o látex e a sola de cortiça como valor estilístico fundador, através de técnicas de fabrico vanguardistas e que em fevereiro passado assistiu ao lançamento no mercado da primeira coleção concebida pela equipa criativa da marca, sem a colaboração de parceiros externos.


A marca 1774 começa a ser produzida por uma equipa interna, mas não cessará colaborações limitadas com marcas e designers externos - Birkenstock


O projecto Birkenstock 1774 nasceu de facto como incubadora e mostruário das colaborações que a Birkenstock começou a empreender, com uma série de designers e realidades internacionais, a partir de 2017, por sua vez derivação indirecta do conceito de design móvel da Birkenstock Box, contentores com reinterpretações dos seus sapatos, em colaboração com várias lojas do conceito em todo o mundo, que percorre todos os continentes há dois anos. A marca 1774 foi, contudo, fundada em janeiro de 2019 como uma realidade estruturada com um nome e sede dedicados  um showroom em Paris, num típico apartamento Haussmannian na rua Saint Honoré.
 
As principais colaborações que tiveram lugar desde 2018, envolveram as marcas Rick Owens (com duas coleções), Valentino, Hotel Il Pellicano, Random Identities e Proenza Schouler, mas outras estão em preparação.
 
"Em Birkenstock abrimos a nossa divisão de Paris à investigação e inovação. Estes são os factores essenciais para que aquilo a que chamamos uma parceria funcione bem. As contribuições de designers líderes como Rick Owens ou Marie Louise Sciò do Hotel Il Pellicano levaram a uma mudança completa na percepção da marca", disse o CEO Oliver Reichert para resumir o projecto.
 
De momento, todas as coleções Birkenstock 1774 são unisexo e são vendidas no website da marca, além de serem premium em termos de materiais e preço alvo. A coleção é composta por alguns dos modelos mais representativos da marca, tais como as sandálias Arizona, Milano e Siena, reinterpretadas através da introdução de detalhes mais preciosos. O leito da sola de cortiça é completamente envolto em couro macio de primeira qualidade. Uma cama de couro ultra-fina recentemente desenvolvida, caracterizada por um padrão único de áreas de PU, que garante durabilidade, flexibilidade e propriedades antiderrapantes.


Proposta de Proenza Schouler para a1774, PE 2020 - Birkenstock


Com mais de 4.300 empregados em todo o mundo, agora na sexta geração familiar, a Birkenstock já usava o termo "plantar" na década de 1910. Desde o início dos anos 70, tornou-se um actor global. Fabricadas na Alemanha, as sandálias Birkenstock são agora vendidas em mais de 100 países em todos os continentes.

Da sua sede em Neustadt/Wied, na região da Renânia-Palatinado, do outro lado do Reno, junto a Bona, a Birkenstock produz tudo em 13 locais na Alemanha, e tem escritórios de vendas nos EUA e Canadá, Brasil, China, Hong Kong, Japão, Dinamarca, Espanha, Reino Unido e Dubai. Tem 47 lojas de marca única: 33 na Alemanha, 3 na Áustria, 2 na Itália, 2 na China, 1 no Brasil, 1 no Reino Unido, 1 em Hong Kong, 1 nos Países Baixos, 1 em Espanha, 1 na Dinamarca, 1 nos EUA.
 

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.