Burberry junta-se à corrida do luxo para renovar produtos mensalmente

A Burberry anunciou na segunda-feira que começará a lançar todos o meses roupas e produtos de edição limitada, aumentando o número de rivais do setor do luxo que tentam lançar coleções com mais frequência para manter os clientes interessados. Esta abordagem faz parta da evolução da marca sob o comando de Riccardo Tisci.


A Burberry prepara-se para fazer lançamentos regulares no dia 17 de cada mês - Instagram

As marcas de moda de alta gama estão a experimentar maneiras de contornar os longos ciclos de produção muitas vezes necessários para transpor os complexos looks das passarelas para as lojas e dar resposta às necessidades dos clientes, cada vez mais habituados a encontrar o que precisam instantaneamente online.
 
A Burberry, que espera revitalizar o crescimento das suas vendas após contratar Tisci, disse num comunicado que a partir de outubro os novos artigos estarão disponíveis no dia 17 de cada mês, "como parte dos seus planos para entusiasmar os clientes".

O primeiro lançamento, que sucede a um similar na estreia de Tisci no desfile do mês passado, vai incluir t-shirts e sweatshirts brancas unissexo com o novo monograma da marca, disponíveis durante 24 horas num punhado de canais de redes sociais como o Instagram.

O método lembra os lançamentos de produtos popularizados pela marca americana de moda urbana Supreme, que ajudou a transformar as suas camisolas de capuz em artigos de coleção muito cobiçados, que mais de uma empresa de luxo está agora a imitar, à medida que as empresas tentam atrair geração mais jovem de compradores.
 
A fabricante italiana de roupa desportiva Moncler anunciou no ano passado que abandonaria as temporadas para se concentrar em lançamentos mensais nas suas próprias lojas de casacos desenhados em colaboração com uma lista de designers-chave. Embora ainda tenha uma oferta de blusões mais permanente, a marca revelou que quer mudar todo o seu processo de produção para um ciclo mensal.
 
A Burberry continuará a produzir regularmente coleções de passarela de verão e inverno e outras pré-coleções.

A empresa, que está a tentar reposicionar-se como uma marca ainda mais sofisticada, disse em setembro que o plano para criar coleções mais específicas a ajudaria a limitar o desperdício, após ter sido alvo de críticas por incinerar inventário no valor de vários de milhões de libras no ano passado.

Anteriormente, a marca foi uma das grandes defensoras da abordagem "see-now, buy-now", que elimina o atraso de seis meses na chegada de uma coleção de passarela às lojas, mas requer uma aposta em termos de prever o que terá sucesso fora das passarelas.
 
Desde então, modificou o formato, misturando disponibilidade instantânea com peças sazonais.
 
Reuters com Sandra Halliday

Traduzido por Estela Ataíde

© Thomson Reuters 2018 All rights reserved.

Luxo - Pronto-a-vestirLuxo - AcessóriosLuxo - CalçadosLuxo - DiversosNegóciosColeção
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER